Continua após publicidade

Governo de SP suspende uso obrigatório de máscara em locais abertos

Em locais fechados, máscaras continuam obrigatórias; escolas manterão a regra em ambientes internos

Por Redação VEJA São Paulo Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 27 Maio 2024, 22h20 - Publicado em 9 mar 2022, 12h09

O governo de São Paulo anunciou nesta quarta, 9, o fim da obrigatoriedade do uso de máscaras ao ar livre, em ruas e ambientes abertos, por todo o estado. Em coletiva de imprensa, o governador João Doria confirmou a decisão e a liberação vale a partir de hoje. “A decisão se deve fundamentalmente ao avanço da vacinação e está respaldada na ciência, na saúde e no respeito à vida”, afirmou Doria. “Em dois anos e dois meses, é a primeira vez que faço uma coletiva sem máscara. Estou me sentindo leve.”

Para as escolas, a determinação é manter o uso de máscara em espaços fechados. O secretário estadual de Educação, Rossieli Soares, afirmou que não será necessário o uso da máscara em quadras esportivas, mesmo que tenham uma cobertura.

“Nossas crianças vão poder estar nas escolas, nos ambientes abertos, já sem máscara. Continua obrigatório o uso na sala de aula ou nos ambientes fechados. Nos ambientes abertos, nas quadras que só têm a cobertura, mas não são fechadas nas laterais, não precisará mais”, disse.

Em locais fechados, nada muda e as máscaras também seguirão obrigatórias. A população tem usado máscaras por 22 meses desde o início da medida no estado de São Paulo.

Nesta semana, um estudo da Vigilância Sanitária municipal recomendou a liberação das máscaras em locais abertos na cidade e a manutenção da obrigatoriedade do equipamento contra a Covid-19 em lugares fechados. O estudo foi enviado pelo prefeito Ricardo Nunes para o vice-governador Rodrigo Garcia e encaminhado ao Comitê Científico estadual.

O estudo feito pela Vigilância Sanitária da cidade de São Paulo reúne três recomendações:

Continua após a publicidade

1. Seguir com as medidas não farmacológicas de precaução: manter a etiqueta respiratória; higiene das mãos; evitar aglomeração; manter o uso de máscaras em locais fechados, como transporte público;

2. Intensificar a vacinação de dose de reforço da população adulta;

3. A desobrigação do uso de máscaras ao ar livre e ambientes abertos como ruas a parques.

De acordo com o estudo, as recomendações consideram o contexto de melhora de praticamente todos os indicadores da pandemia da Covid-19.

A região metropolitana de São Paulo já registrou a menor média móvel de novas internações por Covid-19 desde o início da pandemia. Foram, em média, 145,8 hospitalizações provocadas pela doença no último domingo, 6. O melhor índice anteriormente era de 146,28 no dia 5 de dezembro de 2021.

Continua após a publicidade

Apesar da queda, ainda há mais de 1 mil pacientes internados com Covid-19 na Grande SP. Neste domingo, há 1 819 pessoas com coronavírus em leitos de UTI e enfermaria. O menor total foi registrado em 10 de dezembro de 2021, com 1 217 internados.

+Assine a Vejinha a partir de 12,90.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de 49,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.