Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Alerta: golpistas já usam cadastro do PIX para roubar dados de usuários

Mais de trinta domínios falsos já haviam sido identificados por pesquisadores no início da semana

Por Redação VEJA São Paulo 7 out 2020, 11h25

O PIX deve começar a funcionar em novembro deste ano. Trata-se de um sistema criado pelo Banco Central que irá permitir transações quase instantâneas de dinheiro. Mas golpistas já estão usando a ferramenta para roubar dados de consumidores.

Criminosos se aproveitam do momento de cadastro dos usuários, que inclui o preenchimento de CPF, número de celular e e-mail, para obter as informações privadas. Sites que supostamente fazem o pré-cadastro no PIX são falsos.

Pesquisadores da Kaspersky, empresa de soluções em cibersegurança, haviam detectado mais de 30 domínios falsos com o termo “pix” no início desta semana. E há chances de mais sites falsos surgirem.

Uma das formas de isca é a distribuição de links por meio de e-mails, redes sociais e SMS. Ao acessar, a vítima é convidada a  fazer o download de um arquivo ou software malicioso, que dá acesso remoto ao computador ou celular. Criminosos também simulam sites de bancos e convidam usuários a cadastrar as informações. 

Para se proteger, não clique em links enviados por e-mail, SMS ou redes sociais, mesmo que o remetente tenha se identificado como o banco no qual você tenha uma conta. A melhor forma de efetuar cadastro no Pix é através dos canais oficias disponibilizados pelos bancos.

Continua após a publicidade
Publicidade