Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Garota que gravou o próprio estupro diz que era abusada enquanto a mãe dormia

O padrasto da menina alegava estar 'possuído'

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 19 jun 2021, 15h09 - Publicado em 19 jun 2021, 15h08

Uma garota de 14 anos conseguiu gravar com um celular escondido um vídeo enquanto estava sendo estuprada pelo padrasto, de 44, e denunciou à polícia os abusos sexuais que sofria há pelo menos seis anos. As informações são do G1.

O crime, segundo a adolescente, acontecia enquanto a mãe dormia, na mesma residência onde moravam em Praia Grande, no litoral de São Paulo.  “Coloquei na minha cabeça que iria contar antes do meu aniversário”, relata a adolescente, que esperava ter alguma prova do crime para contar para mãe e à irmã.

Na semana seguinte à gravação, contou à irmã mais velha, que não mora com eles, sobre o estupro. As duas contaram à mãe antes de irem à Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Praia Grande registrar a denúncia.

Antes de expulsar o padrasto de casa, a família conta que o confrontou.

“Minha mãe conversou com ele, chorando. Ele confessou para ela, e falou que era tudo culpa do diabo. Disse que se arrepende, que espera que a família perdoe ele. Disse que, à noite, algo puxava ele e falava para ele fazer, que era mais forte que ele, que estava possuído. Ele disse que sabe que estragou uma vida, mas falou tentando comover minha mãe”, disse a irmã da vítima.

Desde a denúncia, a garota está vivendo com o pai e a madrasta. O caso está sendo investigado pela Polícia Civil. A reportagem não conseguiu ter acesso ao suspeito ou o advogado do investigado para falar sobre o assunto.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade