Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

A filosofia do Dr. Hollywood

Saiba o que o médico pensa sobre vaidade, sucesso e família

Por João Batista Jr., de Los Angeles Atualizado em 5 dez 2016, 17h09 - Publicado em 19 Maio 2012, 00h50

“Beijo dez mulheres na balada, mas não transo com nenhuma. Amo minha mulher e só saio do casamento dentro de um caixão de pinheiro”

“Sou a mulher da casa: uso maquiagem, cuido do corpo e adoro Versace. Mas não entendo por que as pessoas perguntam se sou gay. Isso é muito bizarro”

+

A história do Dr. Rey, um paulistano que conquistou Hollywood

“Minha sogra, canadense, tem um pé atrás comigo. E olha que fiz da filha dela uma milionária que só anda em carros italianos e alemães”

“Sou igual a Napoleão: temos a doença de não aceitar o próprio sucesso e querer sempre mais e mais”

“De tanto meu pai bater em mim e na minha família, tenho muitos complexos. Olho no espelho e escuto uma voz dizendo ‘ugly monkey’ (macaco feio)”

+

Assista à cirurgia feita por Dr. Hollywood

“Como o Brasil está enriquecendo, as pessoas gostam de ver luxo. Por isso, faço questão de mostrar a minha Maserati e os quatro andares da casa de Beverly Hills onde vivo”

“Sou louquinho, mas estudava quinze horas por dia para chegar a Harvard. Não é qualquer latino, sem sobrenome e de origem pobre, que vence por aqui”

Continua após a publicidade
Publicidade