Quem foi Filinto Müller

Como chefe de polícia política do governo de Getúlio Vargas, ele teve o nome associado a episódios de tortura

Bacharel em direito, Filinto Müller participou da Revolta Paulista de 1924, no período em que prestava serviço militar como primeiro-tenente do Exército no Quartel de Quitaúna, em São Paulo. Após se transferir para o Rio de Janeiro, então capital do país, atuou como chefe da polícia política do governo de Getúlio Vargas e teve seu nome associado a episódios de tortura. O caso de maior repercussão foi o da detenção e deportação da judia Olga Benário, à época grávida de seu companheiro, o militante comunista Luís Carlos Prestes. Ela foi executada no campo de extermínio de Bern burg, na Alemanha, em 1942. Müller morreu em 1973, aos 73 anos.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s