Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Museu fabril: indústrias fazem parte do passado e do presente da Mooca

Conheça algumas delas

Por Jéssika Torrezan Atualizado em 1 jun 2017, 18h32 - Publicado em 4 jun 2011, 00h50

Companhia de Calçados Clark

Fundada em 1904, chegou a produzir 20.000 calçados por mês e fechou as portas na década de 50. Em 1968, o prédio foi desapropriado e, dois anos depois, virou sede da Imprensa Oficial.

Arno

A companhia foi criada em 1940 e produzia motores elétricos. Em 1947, passou a fazer peças para automóveis. Pouco depois, começou a fabricar eletrodomésticos, ramo principal até hoje. Ainda está em atividade no bairro.

 

Lorenzetti

Fundada em 1922, começou com quatro funcionários, que fabricavam parafusos. Permanece no mesmo local, agora com mais de 3.000 empregados. É líder em vendas de duchas, chuveiros elétricos e aquecedores a gás.

Continua após a publicidade

Companhia União dos Refinadores

Criada em 1910, foi desativada há cinco anos. Ali está sendo construído o condomínio Luzes da Mooca: a antiga chaminé, tombada no ano passado, será preservada.

Fábrica da União na Mooca 2220a
Fábrica da União na Mooca 2220a

Cia. Antarctica Paulista

O prédio que abrigava a Cervejaria Bavária foi comprado pela empresa em 1904. Há onze anos, a produção foi transferida para Jaguariúna. O local passa por um processo de tombamento pelo Conpresp.

Grandes Moinhos Gamba

Criado em 1910, foi desativado nos anos 60, e o prédio, tombado pelo Conpresp e pelo Condephaat, ficou vazio até virar uma boate, em 1994. Atualmente abriga o Moinho Eventos.

 

Continua após a publicidade

Publicidade