Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Doria promete R$ 125 milhões a setores mais afetados pela pandemia

Pacote emergencial anunciado pelo governo prevê ainda suspensão de protesto de débitos e manutenção de serviços de gás e água

Por Redação VEJA São Paulo 3 fev 2021, 16h45

O governador João Doria anunciou nesta quarta-feira (3) um pacote emergencial para apoiar os empreendedores dos 645 municípios paulistas que mais foram impactados pela pandemia do coronavírus. Entre as novas medidas estão a liberação de R$ 125 milhões pelo Banco do Povo e pelo Desenvolve SP, a suspensão de protesto de débitos da dívida ativa e a manutenção de serviços de gás e água. 

“Queremos agradecer aqueles que do setor privado entendem que é pelo diálogo que nós construímos e obtemos bons resultados, não é por intimidação, não é por fake news e muito menos por ameaças. O diálogo estabelece a linha e a ponte de entendimento. O Governo do Estado de São Paulo respeita o diálogo e repugna intimidações e medidas ameaçadoras daqueles que preferem seguir a linha do extremismo”, disse Doria. 

Suspensão de protestos de débitos e manutenção de serviços

A Procuradoria Geral do Estado suspenderá por 90 dias o protesto de débitos inscritos na dívida ativa em todo o estado de São Paulo. A medida passa a vigorar a partir desta quinta-feira (4) e facilita o acesso ao financiamento.

O governo ainda anunciou que não suspenderá os serviços de saneamento e gás canalizado de estabelecimentos comerciais nas áreas de concessão da Sabesp, Comgás, Naturgy e Gás Brasiliano Distribuidora (GBD) em municípios que estiverem nas fases laranja e vermelha do Plano São Paulo. 

Os usuários não serão negativados por débitos. A medida tem efeito imediato e se estende até o final de março. Os estabelecimentos que já estão negativados durante o período da pandemia precisam repactuar os seus acordos para que a negativação seja suspensa. Débitos existentes poderão ser renegociados sem aplicação de multas e juros. 

O prazo para o parcelamento será de 12 meses após a repactuação de saldos em aberto. Essas medidas são válidas para os usuários do segmento comercial e de serviços da Sabesp com consumo de até 100m³ por mês e no caso da Comgás, Naturgy e Gás Brasiliano Distribuidora (GBD) com uso de até 150m³ por mês.

Continua após a publicidade

Microcrédito a MEIs e autônomos 

Com objetivo de auxiliar os empreendedores mais impactados pela pandemia, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, por meio do Banco do Povo, liberou R$ 25 milhões em microcrédito, além dos  R$ 280 milhões em empréstimos subsidiados em 2020, para auxiliar MEIs e autônomos a atravessarem a crise. 

A primeira linha é para os empreendedores informais e produtores rurais sem CNPJ, com opções de crédito de até R$ 15 mil e taxa de juros de 1% ao mês. O prazo para pagamento é de até 12 meses e carência de até 60 dias para capital de giro. Já para o investimento fixo e misto, o prazo para pagamento é de até 24 meses com até 90 dias de carência. O empreendedor deverá realizar um curso de qualificação empreendedora – disponível tanto online quanto presencial por meio do Sebrae-SP -, apresentar avalista e não ter restrições creditícias.

Já a segunda linha é voltada para empreendedores com CNPJ. Com taxa de juros de 0,35% ao mês, o limite de crédito é de até R$ 21 mil e o prazo para pagamento de até 24 meses com carência de até 60 dias para capital de giro. Já para o investimento fixo e misto, o prazo para pagamento é de até 36 meses com até 90 dias de carência. Para solicitar os financiamentos, o empresário também deverá realizar um curso de qualificação empreendedora – disponível tanto online quanto presencial por meio do Sebrae-SP – e não ter restrições creditícias. Não é necessário apresentar avalista. 

R$ 100 milhões em capital de giro

O Desenvolve SP, banco do governo do estado, vai disponibilizar mais R$ 100 milhões em crédito para capital de giro para apoiar micro e pequenas empresas do Estado para ajudar a amenizar os impactos econômicos causados pela pandemia.

Micro e pequenas empresas (faturamento anual até R$ 4,8 milhões) poderão solicitar crédito para capital de giro com taxas a partir de 0,8% ao mês acrescido da SELIC, com prazo de até 60 meses para pagar e carência de até 12 meses. 

+Assine a Vejinha a partir de 6,90.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade