Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Doria assina decreto que considera igreja como atividade essencial

Medida acontece após tucano perder força entre líderes evangélicos; texto será publicado na terça (2) no Diário Oficial

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 1 mar 2021, 13h26 - Publicado em 1 mar 2021, 13h15

O governador de São Paulo, João Doria, afirmou nesta segunda-feira (1), em suas redes sociais, que assinou um decreto que passa a considerar como essenciais as atividades religiosas de qualquer natureza.

“Este é o decreto que o governo do estado de São Paulo publicará amanhã, dia dois de março, que reconhece a essencialidade de todas as igrejas no estado de São Paulo e o seu funcionamento, com a regularidade, obedecidos os critérios sanitários de proteção aos que dela participam. Esperança, fé, e oração. Com vacinas vamos vencer a Covid”, disse o governador no vídeo postado.

De acordo com o projeto de lei 299/2020, enviado pela Assembleia Legislativa de São Paulo, as atividades religiosas realizadas tanto em templos quanto fora deles devem ser reconhecidas como essenciais e serão mantidas em momentos de crise. “A fé exerce papel fundamental como fator de equilíbrio psicoemocional à população”, afirma o texto. 

Matéria publicada na Folha de S. Paulo mostra que João Doria vem perdendo apoio das igrejas. O respaldo de líderes evangélicos é importante para as eleições presidenciais de 2022, nas quais o tucano deve se lançar candidato.

+Assine a Vejinha a partir de 6,90.

Continua após a publicidade

Publicidade