Clique e assine por apenas 6,90/mês

Procuradores da Lava Jato em São Paulo pedem demissão coletiva

Eles alegam "incompatibilidades insolúveis com a atuação da procuradora Viviane de Oliveira Martinez"

Por Redação VEJA São Paulo - Atualizado em 3 set 2020, 09h23 - Publicado em 3 set 2020, 09h20

Um pedido de desligamento foi feito por parte de sete procuradores da força-tarefa da Lava Jato em São Paulo na quarta-feira (2). Eles enviaram o pedido ao procurador-geral da República,Augusto Aras.

No documento, eles alegam “incompatibilidades insolúveis com a atuação da procuradora natural dos feitos da referida força-tarefa, Dra. Viviane de Oliveira Martinez”, procuradora que assumiu as atividades do grupo em São Paulo no mês de março, e pedem afastamento das funções até o fim do mês.

Ela assumiu o posto após um concurso interno de remoção. Os procuradores afirmam que ela precisaria ter participação natural na equipe e nos procedimentos da operação, o que não aconteceu.

Segundo eles, Viviane não se interessou em atuar nos casos da operação e apenas trabalhou para enviar para outras divisões os procedimentos e investigações de atribuição do grupo.

Um dia antes, na terça-feira (1º), Deltan Dallagnol anunciou a saída da coordenação da Lava Jato em Curitiba. O Ministério Público Federal ainda não se manifestou a respeito do assunto.

Continua após a publicidade
Publicidade