Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Greve dos motoristas provoca congestionamento recorde

Manifestantes fecharam quinze terminais; prefeito entregará dossiê sobre o caso para o Ministério Público 

Por Redação Veja São Paulo Atualizado em 5 dez 2016, 14h26 - Publicado em 20 Maio 2014, 21h32

Quinze terminais de ônibus fechados, estações de metrô superlotadas e muito trânsito. Este é o balanço da greve dos cobradores e motoristas que surpreendeu os paulistanos e, até mesmo, o sindicato da categoria e a prefeitura nesta terça-feira (20). Por causa da paralisação, o rodízio de veículos foi suspenso e, às 19 horas, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) registrou 261 quilômetros congestionados, recorde de lentidão no ano.

+ Protesto de professores interdita vias da cidade

Em entrevista coletiva no início da noite desta terça-feira (20), o prefeito Fernando Haddad disse que os manifestantes não avisaram ninguém o ato. “Fomos surpreendidos.” Segundo Haddad, a prefeitura ainda tenta identificar os organizadores e as motivações, já que até o presidente do sindicato também não sabia da ação.

+ Policiais devem paralisar as atividades nesta quarta

Com isso, ninguém sabe se a paralisação continuará nesta quarta-feira (21). Jilmar Tatto, secretário de transporte, informou que a prefeitura prepara um dossiê para entregar ao Ministério Público para que o caso seja investigado.

Continua após a publicidade

Ação surpresa

Sem o conhecimento do sindicato da categoria, alguns motoristas e cobradores suspenderam as atividades desde a manhã desta terça-feira. Terminais foram bloqueados e muitos ônibus ficaram estacionados formando filas em vias da cidade, como na Avenida Professor Francisco Morato.

 

Segundo a SPtrans, os manifestantes fecharam os terminais Amaral Gurgel, Bandeira, Barra Funda, Butantã, Casa Verde, Lapa, Mercado, Pinheiros, Pirituba, Princesa Isabel, Sacomã, Santana, Cachoeirinha, Dom Pedro e Varginha.

Apesar do metrô não registrar problemas nas estações, usuários encontraram movimento acima do normal no início da noite desta terça-feira. Muitos divulgaram fotos das plataformas cheias nas redes sociais. Na Estação Pinheiros, por exemplo, passageiros não conseguiam passar pelas catracas por volta das 18h30. Muitos desistiram e ficaram sentados na calçada aguardando a situação melhorar. 

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Para entender e curtir o melhor de SP, Veja São Paulo. Assine e continue lendo.

Impressa + Digital

Plano completo da VejaSP! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

Receba semanalmente VejaSP impressa mais acesso imediato às edições digitais no App Veja, para celular e tablet.

a partir de R$ 19,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)