Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Condomínio faz votação para proibir entrada de empregados

Moradores devem decidir se prédio no Jardim das Perdizes restringirá entrada de funcionários dos moradores em meio a pandemia do coronavírus

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 20 mar 2020, 09h05 - Publicado em 19 mar 2020, 16h13

O condomínio Bosque Araucária, localizado no Jardim das Perdizes, Zona Oeste da capital paulista, consulta seus moradores para decidir as medidas que serão adotadas após o aumento do número de casos de coronavírus na cidade. Para diminuir a circulação de pessoas no residencial, a administração irá restringir a entrada de funcionários nos apartamentos.

A medida, segundo relatos obtidos pela Vejinha, não ocorre apenas neste condomínio mas também em todos os outros edifícios que compõem o Jardim das Perdizes, bairro que concentra vários residenciais.

Uma súmula de votação foi distribuída para os moradores nesta quinta-feira (19). Eles irão decidir as medidas que serão adotadas no endereço. De acordo com o texto, os condôminos têm duas opções. A primeira é proibir totalmente a entrada de funcionários nos apartamentos que sejam para a “execução de obras não emergenciais nas unidades, bem como empregados domésticos ou babás não residentes nas unidades”.

Reprodução/Divulgação

Outra alternativa restringe o número de empregados por unidade para “apenas um prestador de serviços que seja para execução de obras não emergenciais, empregado doméstico ou babá”.

Em meio às tentativas de diminuir o número de entradas e saídas, moradores relataram uma prática que vem sendo adotada no residencial. As empregadas domésticas que moram na casa dos patrões acabam prestando serviços também para outros apartamentos.

Continua após a publicidade

Os moradores terão até as 16h do dia 23 de março para tomar uma decisão. “Lembramos a todos a necessária compreensão da pandemia instalada e os riscos à saúde de todos. Pedimos a revisão de hábitos particulares, pois também é necessária a compreensão dos moradores para analisar as suas próprias atividades e práticas adotadas para saber se está ou não colaborando com a prevenção contra o Covid-19, que está matando milhares de pessoas pelo mundo”, diz texto enviado pelo síndico do prédio aos moradores.

  •  

     

     

     

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade