Clique e assine por apenas 6,90/mês

Cidade do interior desfaz presépio com animais vivos

"É necessário reconhecer nossos erros", disse o prefeito de Torrinha, cidade a 263 quilômetros da capital

Por Estadão Conteúdo - 13 Dec 2017, 09h54

Após a polêmica envolvendo o uso de animais vivos em um presépio ao ar livre, montado em frente à Igreja Matriz de Torrinha, no interior de São Paulo, a prefeitura anunciou o fim da exposição. Nesta terça-feira (12), o prefeito Ronaldo Gasparelo (PV) resolveu se desculpar pelo ocorrido. “É necessário reconhecer nossos erros”, alegou.

O presépio foi montado no último fim de semana com vaca, bezerro ovelhas e jumento. A intenção era expor os animais todos os sábados e domingos até o Natal. Mas com as reclamações de moradores a ideia foi encerrada com apenas dois dias de exibição.

Segundo denúncias, os animais ficaram expostos ao sol no sábado (9) e foram vítimas de maus-tratos. A prefeitura nega que isso tenha ocorrido e afirma que o projeto teve o aval de veterinários.

O prefeito, porém, reconheceu que o uso dos animais foi um erro, “pois animal não deve ser considerado enfeite”. Ele afirmou ainda entender “a sensibilização de todos” e disse agora considerar “inconcebível” a presença deles no sol, “seja qual for a circunstância”.

Continua após a publicidade

Segundo Gasparelo, os animais foram bem tratados e, no domingo (10), foram retirados do local.

Publicidade