Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Em Guarulhos, duas casas de reza indígenas são incendiadas em aldeia

Moradora do local, Vanuzia Kaimbé, a primeira indígena a ser vacinada contra a Covid-19 no Brasil, diz que foi xingada nas redes após imunização

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 6 abr 2021, 17h07 - Publicado em 6 abr 2021, 17h04

A aldeia “Filhos da Terra”, localizada em Guarulhos, teve duas casas de reza incendiadas neste último domingo (4). Moradores afirmam que foram incêndios criminosos, mas ainda não possuem pistas sobre os autores. Os espaços são considerados sagrados para os residentes. 

Vanuzia Kaimbé, técnica de enfermagem de 50 anos e primeira indígena a ser vacinada contra a Covid-19 no Brasil, é moradora do local. Em entrevista ao G1, ela disse que no dia do incêndio moradores escutaram um estrondo e avistaram a fumaça. Quando chegaram na oca, ela já estava totalmente queimada.

Mais tarde, no mesmo dia, Vanuzia disse que novamente as famílias da região ouviram outra explosão. Uma segunda casa de reza também foi queimada, mas eles conseguiram salvar uma terceira que estava com um princípio de incêndio. 

Os indígenas ainda não decidiram se irão registrar um Boletim de Ocorrência porque existe um medo de retaliações. A técnica de enfermagem conta que recebeu diversos xingamentos nas redes sociais após ser vacinada. 

O incêndio foi comunicado à Fundação Nacional do índio (Funai) e à Prefeitura de Guarulhos, que prestou assistência aos moradores na segunda-feira (5).

+Assine a Vejinha a partir de 6,90

  • Continua após a publicidade
    Publicidade