Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Carnaval Solidário: escolas de samba se unem para arrecadar doações

Neste sábado (15), agremiações fazem evento de encerramento da ação no Sambódromo do Anhembi com carreata; veja como ajudar

Por César Costa 12 Maio 2021, 17h09

A Liga SP e a UESP, entidades responsáveis por mais de 60 escolas de samba de São Paulo, estão promovendo em conjunto o “Carnaval Solidário”. A ação visa arrecadar cestas básicas e alimentos para os integrantes das escolas ou quaisquer outras pessoas dos bairros ligadas às agremiações. Neste sábado (15), o Anhembi será aberto para uma carreta de doações em drive-thru com presença de carro de som, fantasias e bateria. 

Em entrevista à VEJA SÃO PAULO, Adilson José, presidente da Unidos de Vila Maria, escola responsável pelos projetos sociais da Liga SP, explica que as ações vêm sendo feitas pelas instituições desde o começo da pandemia.

“Já vínhamos fazendo nossas ações desde o começo da pandemia. Com essas doações nos últimos dias e a falta de carnaval, vimos o potencial de juntar todas as escolas. Queremos aumentar essa capacidade de ajudar o outro”, conta.

A imagem mostra três pessoas segurando sacos de arroz, todas de máscara. Ao fundo há um bandeirão com escudos e o nome da Acadêmicos da Tatuapé
Acadêmicos do Tatuapé: escolas de toda São Paulo estão arrecadando doações Divulgação/Veja SP

O movimento Carnaval Solidário começou há três semanas e as escolas estão arrecadando doações de alimentos em suas quadras. O evento deste sábado (15) no sambódromo servirá como encerramento desta ação específica e contará com algumas atrações. A entrada é gratuita. 

“A conclusão será com essa carreata solidária no Anhembi, simulando um desfile de carnaval. Estamos com o drive-thru para receber alimentos”, explica Adilson. “Vamos formar blocos de 30 minutos de acordo com a quantidade de veículos. Em cada um deles, o carro de som virá na frente puxando o bloco e quando chegar no recuo, o carro de som sai e a bateria fará a condução até o final do desfile”. 

View this post on Instagram

A post shared by Liga-SP (@ligacarnavalsp)

Continua após a publicidade

O evento deve respeitar todos os protocolos de distanciamento. “É um bloco pequeno de ritmistas. Mesmo assim, vai ser bem bonito de ver. Vamos mostrar também à sociedade que somos mais que só o momento do carnaval. Porque viver só isso? Podemos ser muito mais. Vai ser um momento muito alegre e com responsabilidade”, diz o dirigente da Liga. Além da bateria, haverá fantasias e até sinalizadores.  

Ao fim da carreata, todos os alimentos serão levados à Fábrica do Samba, onde será feita a contagem e a distribuição igualitária entre as escolas participantes. Adilson vê também como positiva a aproximação entre as entidades do samba paulista. “Essa união vai ser muito boa. Com a UESP você traz a essência do samba, a base daquela pessoa que tem uma ligação muito forte”. 

A Liga SP é uma entidade responsável pela administração das 34 escolas de samba dos grupos Especial, de Acesso 1 e Acesso 2 do Carnaval de São Paulo. Em seguida vem a UESP (União das Escolas de Samba Paulistanas) que congrega outras 64 agremiações e blocos carnavalescos. 

Bateria Solidária

Em conjunto com a ação Carnaval Solidário, mestres de bateria estão liderando a ação Bateria Solidária, que tem o mesmo objetivo, mas com enfoque maior em ajudar os ritmistas que passam por dificuldades. 

“Os mestres estão preocupados com os ritmistas que estão passando por situações difíceis. Estamos trabalhando em conjunto e dará tudo certo”, acredita Adilson. 

View this post on Instagram

A post shared by Bateria Solidária SP (@bateriasolidaria)

Continua após a publicidade

+Assine a Vejinha a partir de 8,90.

Continua após a publicidade
Publicidade