Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Cantor Belo é preso após realizar show em escola em meio à pandemia

Além dele, sócios de produtora e chefe do tráfico do Parque União foram detidos pela Polícia Civil do Rio

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 17 fev 2021, 15h06 - Publicado em 17 fev 2021, 14h55

O cantor Belo foi preso nesta quarta-feira (17) após realizar um show em uma escola no Complexo da Maré, Zona Norte do Rio. Ele é investigado pela Delegacia de Combate às Drogas (DCOD), da Polícia Civil do Rio de Janeiro.

O show aconteceu no último sábado (13) em uma área dominada pelo tráfico de drogas na cidade. O evento reuniu uma multidão em meio à pandemia do coronavírus. O Rio proibiu festas e blocos de carnaval neste ano por conta do risco de contaminação.

A DCOD cumpriu mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão. O artista foi preso em Angra dos Reis e a Polícia também apreendeu equipamentos e veículos em uma produtora da cidade.

Além de Belo, foram presos Célio Caetano, sócio da produtora, Henriques Marques, o Rick, outro sócio da produtora, e Jorge Luiz Moura Barbosa, o Alvarenga, chefe do tráfico no Parque União.

“Fizemos o show seguindo todos os protocolos. Não temos controle do geral. Isso nem os governantes têm. As praias estão lotadas, transportes públicos, e só quem sofre as consequências são os artistas. Que foi o primeiro segmento a parar, e até agora não temos apoio de ninguém sobre a nossa retomada. Sustentamos mais de 50 famílias”, disse Belo quando o inquérito foi aberto. 

  • Continua após a publicidade
    Publicidade