Clique e assine com até 89% de desconto

Boletim policial dá detalhes sobre caso de agressão do goleiro Jean

Na quarta-feira (18) atleta foi preso em Orlando, nos Estados Unidos, após ser acusado de violência doméstica contra sua esposa

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 14 fev 2020, 15h47 - Publicado em 19 dez 2019, 14h38

Jean Paulo Fernandes, goleiro do São Paulo, foi preso na quarta-feira (18), em Orlando, Estados Unidos. Acusado de agredir a esposa, ele foi detido pela polícia local. No mesmo dia o clube comunicou que irá tomar as “medidas cabíveis” após o final do período de férias do jogador.

Nesta quinta (19), a justiça da Flórida disponibilizou o boletim de prisão do jogador, obtido por VEJA, que contém detalhes sobre o caso. No documento, o chefe de polícia Edgar Castillo afirma que respondeu no hotel Marriot Fairfield a um caso de violência doméstica. Na chegada, ele foi direcionado para o quarto do casal, quando encontrou Jean e a esposa, Milena Bomfim.

“O rosto dela estava inchado e haviam hematomas abaixo dos dois olhos. Jean também tinha um pequeno ferimento na testa”, relata o agente. “Jean não queria cooperar e foi preso para que pudesse prosseguir com a investigação.” Segundo o boletim, o jogador afirmou que o casal teve uma discussão porque a esposa o viu conversando com outra mulher no telefone.

O atleta disse que Milena o atingiu na testa com uma chapinha e o mordeu na coxa esquerda e mostrou um pequeno ferimento na perna. “Pedi que me explicasse como Milena conseguiu mordê-lo nesta região e ele não soube explicar.”

Em seguida, o policial interrogou Milena, que contou também sua versão por escrito e sob juramento. A mulher afirma que eles discutiam e ela tentava acalmar o jogador porque as “filhas estavam dormindo”. Teriam ido então para o banheiro para conversar, mas ela desejava voltar para a cama. No colchão, relata que o homem puxou-a para o chão e lhe deu três socos, quando ela então pegou a chapinha e bateu nele.

Continua após a publicidade

Milena então afirma que eles se levantaram, e o homem continuava sendo agressivo, quando ela atirou a chapinha contra ele novamente e atingiu a coxa, causando um corte. “Jean a agarrou pelo cabelo até o banheiro, onde deu mais cinco socos no rosto.” Milena não quis abrir processo contra agressão e preencheu um formulário de violência doméstica.

Segundo o relatório, o policial conversou também com as filhas do casal, que contaram uma versão parecida com a da mãe. “Baseado na investigação entendo que Jean é o agressor principal deste incidente e causou lesões corporais a Milena. As lesões que ele sofreu foram por legítima defesa dela.”

  • + OUÇA O PODCAST #SPsonha

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade