Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Band transmite campanha com informações falsas sobre Covid-19

Peça produzida em locais específicos foi ao ar no Rio de Janeiro e Presidente Prudente; emissora afirmou ter sido um “erro individual indesculpável” 

Por Redação VEJA São Paulo 9 mar 2021, 14h34

A Rede Bandeirantes de Televisão transmitiu em dois locais específicos uma propaganda institucional que trazia informações incorretas sobre diagnóstico e tratamento da Covid-19. Ela foi ao ar no Rio de Janeiro e Presidente Prudente, durante o intervalo do Show do Esporte, neste domingo (7).

Em nota, a assessoria de imprensa da Band reconheceu que as informações contidas na peça são parte de um “conteúdo já rejeitado, sem nenhum fundamento científico, e absurdo”. 

Ao todo, foram duas informações falsas veiculadas: a primeira afirmava que, se uma pessoa segurar a respiração por 10 segundos, sem ficar desconfortável, sem tossir ou sentir aperto, quer dizer que ela não está infectada com a Covid-19. Isso é falso, pois qualquer pessoa com problemas respiratórios pode ter dificuldades em prender a respiração e pacientes de Covid-19 leve ou assintomáticos podem não ter dificuldades respiratórias. 

A segunda parte afirmava que, bebendo água com frequência, o indivíduo eliminaria o vírus de seu corpo, levando-os até os ácidos naturais do estômago. A informação é falsa porque a infecção por Covid-19 não se limita apenas à garganta e ao estômago. A partir do contato do vírus com as mucosas do corpo humano, seja via nasal, ocular ou oral, não há nada que impeça a infecção. 

A Band afirma que, “logo depois da veiculação única, as chefias responsáveis detectaram o equívoco e a peça não voltou a ser exibida”.

Leia na íntegra a nota da Rede Bandeirantes de Televisão.

No último domingo (7), uma peça de suposta orientação de combate à pandemia da Covid-19 foi veiculada em duas praças da Rede Bandeirantes de Televisão, em um dos intervalos do ‘Show do Esporte’. Contudo, tratava-se de um conteúdo já rejeitado, sem nenhum fundamento científico, e absurdo. Um erro individual indesculpável. Logo depois da veiculação única, as chefias responsáveis detectaram o equívoco e a peça não voltou a ser exibida.

O Grupo Bandeirantes, obviamente, não compactua com informações falsas, erradas e preza, como valor precípuo, pela prestação de serviço adequada aos seus telespectadores. Todas as providências necessárias para evitar a repetição desse erro inaceitável já foram tomadas. Informamos ainda que esta nota será lida na íntegra localmente nas praças do Rio de Janeiro e Presidente Prudente, onde a peça foi veiculada.

+Assine a Vejinha a partir de 6,90

  • Continua após a publicidade
    Publicidade