Suspeito de matar ex-mulher pediu demissão na véspera do crime

Hugo Gabrich trabalhava em uma imobiliária nos Jardins até a última sexta-feira (11); irmão da vítima diz que casal brigava constantemente

Ainda com o paradeiro desconhecido, o corretor de imóveis Hugo Gabrich, de 50 anos, pediu demissão do trabalho um dia antes do assassinato de sua ex-mulher, Edna Amaralina da Silveira, de 28 anos. De acordo com a polícia, ele aparece em imagens de câmeras de segurança invadindo o apartamento da moça, que morreu após levar quatro tiros. Um rapaz que estava na residência também foi baleado e se encontra no hospital.

A sexta-feira (11) foi o último dia de serviço de Gabrich na imobiliária Itaplan, na Rua Estados Unidos, nos Jardins, onde atuava desde agosto como superintendente de equipe. Lá, era visto pelos colegas como cordial e bem humorado.

Uma funcionária, que pediu para não ser identificada, afirma ainda não acreditar no que aconteceu. “No vídeo, não parecia ser a mesma pessoa com quem convivíamos diariamente”, disse à reportagem de VEJA SÃO PAULO. Oficialmente, o negócio não quis se pronunciar e apenas afirmou que Gabrich era um prestador de serviços.

Edna Amaralina da Silveira é assassinada por Hugo GabrichEdna Amaralina da Silveira é assassinada por Hugo Gabrich

 (/)

A família

O irmão de Edna, Altamiro Moreira da Silva Neto, de 30 anos, sabia das brigas frequentes entre o casal. “Não tenho dúvidas da motivação desse crime tão brutal. A razão foi o intenso ciúme desse monstro, de quem infelizmente fui amigo”, acredita Neto. “Ele e a Mara [como a irmã era conhecida] eram padrinhos da minha filha. Ela não podia engravidar devido a uma doença nos ovários.” O parente mora em Goiás e chegou a trabalhar com o ex-cunhado em Florianópolis, além de fazer negócios com ele em São Paulo.

+ Corpo de mulher assassinada pelo namorado vai para Goiânia

O último deles se deu na segunda-feira (7), poucos dias antes do assassinato. “Quando o vi pela última vez, achei estranho o fato de ele estar sem barba, o que nunca havia visto. Tínhamos consideração e respeito mútuos, mas ele e minha irmã viviam brigando. Foram várias idas e vindas nos últimos cinco anos”, relembra.

Durante esse período, o casal morou em Vitória, onde se conheceu, Florianópolis e Catalão, em Goiás. Nesta última cidade, terra natal da vítima, ambos decidiram pela separação, em julho. “Foi cada um para um lado. Minha irmã foi para São Paulo e o Hugo foi para Belo Horizonte, onde possui família [uma ex-mulher e dois filhos]”, diz o irmão de Edna.

Hugo Gabrich, Edna Amaralina da Silveira e AltamiroHugo Gabrich, Edna Amaralina da Silveira e Altamiro

 (/)

Logo após a separação, a jovem entrou com um processo no Tribunal de Justiça goiano para que o ex-companheiro não chegasse perto dela. “Mas eles tinham quatro cachorros e ele os usava para se aproximar dela”, afirma o irmão da vítima – a queixa foi retirada recentemente. Os animais, que estavam no apartamento no momento do crime, se encontram temporariamente em abrigos e poderão ser doados, caso a família não fique com eles.

Na residência de Edna, foram apreendidos 2 200 reais em dinheiro, os celulares dos dois baleados e um cigarro que, segundo o boletim de ocorrência, tratava-se possivelmente de maconha. 

De Goiás, a família da moça programava-se para vir a São Paulo nesta quinta (17), porém adiou a viagem porque o pai sofreu um princípio de AVC. A polícia pediu hoje a prisão de Gabrich.

Hugo GabrichHugo Gabrich

 (/)

Em São Paulo

Na capital paulista, Edna, que trabalhava como vendedora de biquínis via internet e estava à procura de um emprego fixo, logo passou a receber as visitas de Gabrich – apesar das medidas protetivas que o impediam de se aproximar na época. Mesmo com a relação conturbada, chegaram a morar juntos por dois meses, frequentavam a mesma academia e paravam seus carros no mesmo estacionamento. Segundo um amigo que não quis se identificar, a jovem fez recentemente uma cirurgia para implantar silicone nos seios e, no pós-operatório, foi cuidada justamente pelo ex-parceiro. “Ele vivia para ela”, disse.

+ Polícia só recupera 6,6% dos celulares roubados em São Paulo

Foi somente no último mês que a relação acabou de vez e Edna passou a se relacionar com um homem de 42 anos. “Ela estava feliz. Me mostrou a foto dele e disse que estava apaixonada”, relembra o irmão, citando o empresário D. W. S. (a família pediu para não divulgar o nome da vítima), que foi atingido por dois tiros. Segundo o último boletim médico, ele deixou a UTI do Hospital Samaritano e seu estado de saúde é estável. Não há previsão de alta.

O rapaz é um dos fundadores de uma famosa cervejaria paulista, de onde foi diretor até 2011. Atualmente, é sócio de um primo em uma loja de móveis e atua também no ramo odontológico. Na internet, os amigos postaram várias fotos do rapaz, que gosta de viajar e praticar esportes, e pedem a prisão do autor do crime.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s