Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

“Fomos mutilados sem nenhuma anestesia”, afirma ambulante

Comerciantes organizaram um mutirão para resolver os principais problemas de segurança do local

Por Juliana Deodoro Atualizado em 5 dez 2016, 16h02 - Publicado em 9 Maio 2013, 14h27

Com lágrimas nos olhos, o comerciante Pedro Rodrigues de Paula, de 57 anos, tenta definir os dois últimos dias para ele e os outros comerciantes da Feira da Madrugada, no Brás. “Fomos mutilados sem nenhuma anestesia e não é a primeira vez que isso acontece.” 

Na última semana, o Ministério Público Estadual determinou o fechamento da feira depois que um laudo dos bombeiros confirmou riscos no local. Apesar dos protestos, a Prefeitura acatou o pedido. A partir de quarta (8), o espaço ficaria fechado por sessenta dias para reforma. Entretanto, liminar concedida pela Justiça Federal mudou a situação. 

Hoje (9), Pedro e centenas de outros comerciantes estavam reunidos para tentar organizar um mutirão que resolvesse os principais problemas de segurança. Fios desencapados, lonas, plásticos e extintores vencidos devem ser retirados em pouco mais de 36 horas. 

“Não é que eu acho que vamos conseguir. Temos que fazer as coisas acontecerem. É possível continuar andando mesmo sem uma perna, não é?”, resumiu Pedro.

O otimismo era o sentimento comum entre a maioria dos comerciantes. “Vamos fazer tudo em 24 horas e vamos recuperar o prejuízo do Dia das Mães”, disse a vendedora Alaíde Aquino, de 54 anos. “O mais importante é que todos voltem a trabalhar – e com segurança”, completou Gesiana Batista, de 46 anos.

Desavisados

Apesar da orientação de vários funcionários da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e de materiais informativos, como faixas e panfletos, muito foram à Feira da Madrugada na manhã desta quinta-feira para fazer compras. 

Sônia Siqueira, de 47 anos, veio de Bragança Paulista, no interior do Estado, e se espantou ao ver a área fechada. “Há 15 dias estava aqui e ninguém falou nada.” Sem poder esperar a reabertura, ela foi procurar produtos em outras lojas.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Para entender e curtir o melhor de SP, Veja São Paulo. Assine e continue lendo.

Impressa + Digital

Plano completo da VejaSP! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da VejaSP, diariamente atualizado.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

Receba semanalmente VejaSP impressa mais acesso imediato às edições digitais no App Veja, para celular e tablet.

a partir de R$ 19,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao Site da VejaSP, diariamente atualizado.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

Edições da VejaSP liberadas no App Veja de maneira imediata

a partir de R$ 12,90/mês