Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Estudante aparece com foto de suástica em aula do Mackenzie

Homem dizia protestar contra vacinação obrigatória; universidade abriu um processo disciplinar para apurar o caso

Por Redação VEJA São Paulo 16 set 2021, 19h21

Um aluno da graduação de direito da Universidade Presbiteriana Mackenzie compareceu a uma aula online utilizando na foto de perfil a imagem de uma suástica nazista formada por seringas. O caso ocorreu na quarta-feira (15).

Durante a disciplina laboratório de direito público, o estudante, que entrou na sala apenas com o nome “Rafael”, disse “Boa noite, desculpe o atraso”, após o professor Hélcio de Abreu cumprimentar os alunos. Questionado pelo professor e pelos colegas de sala pelo uso da suástica nazista, o estudante disse que usava a imagem como forma de “protesto contra a vacinação obrigatória de servidores públicos”.

Segundo Rafael, ele estaria sendo vítima de nazismo. “O símbolo da suástica não é um símbolo aceitável. Então, seria melhor você alterar isso aí”, disse o professor, para o aluno.

Os outros estudantes tiraram prints da situação e o caso acabou nas redes sociais. Procurado, o Mackenzie afirmou que “repudia fortemente toda atitude de discriminação, bem como não tolera protestos que ofendam pessoas ou grupos sociais, sob qualquer circunstâncias”.

A universidade disse ainda que abriu um processo disciplinar de apuração para o caso. “A partir dos resultados da averiguação, decidiremos as atitudes cabíveis”, diz a nota da instituição.

  •  

    Continua após a publicidade
    Publicidade