Clique e assine por apenas 6,90/mês
Terraço Paulistano Notas exclusivas sobre artistas, políticos, atletas, modelos, empresários e pessoas de outras áreas que são destaque na cidade.

Datena é só felicidade

Esqueçam o ar carrancudo que José Luiz Datena exibe na apresentação do policial Brasil Urgente. Há três semanas no ar com o quiz show “Quem Fica em Pé”?, José Luiz Datena é só sorrisos. Desde a estreia da atração, ele triplicou o ibope do horário nobre da Band. A seguir, ele comenta a boa fase. […]

Por Ricky Hiraoka - Atualizado em 27 Feb 2017, 12h32 - Publicado em 28 Apr 2012, 00h50

Letícia e Datena: “Minha filha me diz que tenho de ser menos durão” (Foto: Ana Ottoni e Fernando Moraes)

Esqueçam o ar carrancudo que José Luiz Datena exibe na apresentação do policial Brasil Urgente. Há três semanas no ar com o quiz show “Quem Fica em Pé”?, José Luiz Datena é só sorrisos. Desde a estreia da atração, ele triplicou o ibope do horário nobre da Band. A seguir, ele comenta a boa fase.

VEJA SÃO PAULO — Você esperava esse sucesso?
José Luiz Datena — Quando me chamaram para esse projeto, achei que fosse dar traço. Afinal, compito com a novela das nove da Globo. Hoje dou média de três pontos de audiência e tenho picos de oito pontos

VEJA SÃO PAULO — O Quem Fica em Pé vem logo após o culto do R.R Soares, que vai muito mal de audiência. Se recebesse de outro programa, seu ibope não seria maior?
José Luiz Datena — Gosto do RR Soares, mas não concordo com programa religioso no horário nobre. Se a Record que é da igreja, não tem, por que a Band vai ter? Eu o assistia quando tinha meus 30 e poucos anos e chegava bêbado de madrugada em casa. Sempre que ele dizia: ‘pare de beber’ achava que era Deus falando comigo

+ Furos e caneladas de Datena
+ Estrela da Band, Datena é um dos mais bem remunerados da televisão

VEJA SÃO PAULO — Pensa em parar de fazer o Brasil Urgente?
José Luiz Datena — Torço pelo sucesso da Patricia Abravanel, que agora compete comigo no ibope. Se ela detonar o Brasil Urgente vai ser ótimo porque vão me dar oportunidade de fazer outra coisa na Band. Quero ter uma atração que mostre que há vida inteligente dentro da minha cabeça. Não sei falar só de bandido. Quero fazer matérias pelo Brasil, receber cantor no palco.

VEJA SÃO PAULO — Por falar em Patricia Abravanel, você quase trabalhou no SBT uma época…
José Luiz Datena — Estava tudo certo para ir para lá, mas fiquei muito decepcionado com Silvio porque ele só queria que eu apresentasse o Aqui Agora. Não viu perspectiva em mim para comandar algo diferente, um programa de auditório.

VEJA SÃO PAULO — A ameaça de sequestro que sofreu assustou você?
José Luiz Datena — Não tenho a grana que os bandidos pensam que eu tenho. Perdi tudo nessa coisa de ir para Record e voltar para a Band. Nem gosto de pensar no dinheiro que se foi porque é capaz de me jogar da ponte e virar personagem do Brasil Urgente (risos)

VEJA SÃO PAULO — Na quarta (25), sua filha, Leticia Wiermann estreou um programa na Mix TV. Deu conselhos a ela?
José Luiz Datena — Primeiro, vou assisti-la. Depois, quem sabe, falo uma coisa ou outra. Letícia é muito mais inteligente que bonita. Mas a aparência dela ofusca o conteúdo que ela tem. Além de ótima filha, Leticia é boa conselheira. Sempre me diz para deixar de ser durão, para ser mais aberto com as pessoas.

VEJA SÃO PAULO — Ser filho do Datena é um bom negócio para quem quer trabalhar na TV?
José Luiz Datena — Eu atrapalho a carreira dos meus filhos na TV. Briguei em todas as emissoras que trabalhei. Então, é normal que elas não queiram meus filhos trabalhando lá

Publicidade