Após comentário, Nicette Bruno manda indireta no “Encontro”

"Você pode ter dez filhos. Os dez serão diferentes", desabafou a atriz após ouvir a opinião de uma convidada da plateia no "Encontro" desta quinta (22)

Em programas ao vivo, nunca se sabe o que pode dar errado. Foi o que aconteceu no Encontro desta quinta (22), quando uma convidada da plateia deu uma declaração para lá de polêmica: a mulher, chamada Iolanda, disse que não aceitaria um filho gay e que o levaria a um especialista se descobrisse sua homossexualidade. Quem roubou a cena, então, foi Nicette Bruno.

Ao ouvir a declaração da mulher, a atriz veterana da Rede Globo esboçou espanto. Muitos espectadores repararam na reação dela, mas o que fez sucesso mesmo foi a “indireta” que Nicette mandou para a mãe preconceituosa:

As pessoas não são iguais, não tem duas pessoas iguais. Cada um tem a sua individualidade, tem o seu caminho a seguir e todos devem conviver da mesma forma e da mesma maneira. Porque é curioso que fica se pensando, nesse caso da homossexualidade, como se fosse uma coisa estranha, uma coisa diferente, um defeito. Não é! Meu Deus, é a vida, é a individualidade da pessoa“, disse.

Você pode ter dez filhos. Os dez serão diferentes. Você vai educá-los de acordo com a sua visão de família. Mas, para cada um, você precisa ter um sentido único, porque eles são diferentes. Então não são eles que precisam se modificar, você que tem que se adaptar a cada um deles, pois isso forma uma família, não é?“, finalizou a atriz, muito aplaudida pela plateia.

Na sequência, Fátima Bernardes acrescentou: “Na verdade, eu acho que muito é a expectativa que os pais geram em relação aos filhos, que provoca esse desconforto“. Nicette Bruno, novamente, deu uma resposta muito comemorada: “É um problema de preconceito, sim. Claro que isso já vem de muito tempo e isso é incutido nas pessoas desde muito cedo a ter esse preconceito“, disse. Assista:

No Twitter, muitos internautas elogiaram a opinião da atriz, que tem 84 anos de idade. Confira a repercussão:

Dê sua opinião: E você, o que achou da “indireta” de Nicette Bruno para a convidada do Encontro? Deixe seu comentário e aproveite para curtir nossa página no Facebook!

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Montserrat Allmonte

    Eu nao tenho preconceito com nada,talvez eu nao tenha me expressado corretamente,naquele momento eu estava com indecisão se aceitaria ou não mas é claro que por amor as minhas filhas eu mudaria minha atitude e conversarmos é claro e com certeza eu ia ficar do lado delas independente de suas escolhas.O.importante e ver elas felizes.Só que o mundo se virou contra mim devido meu comentário que não foi de uma pessoa q tem preconceitos e sim de uma mãe como muitas q as vezes e sente confusa em relação a esse asunto.Mas tenho a mente aberta sim e aceitaria porque quero ver o melhor para minhas filhas, nao importa suas escolhas.
    Devido isso estou sofrendo ameaças,hostilidade e perturbação da minha paz,não precisa isso tudo pq não comenti nem um crime, isso acontece com muitas famílias.Estão ligando pra mim com ameacas,isso é um absurdo,pq até elas estão com medo pq me dizem coisas horríveis no telefone e em rede social.Tenho muitos amigos gays e todos estão me dando apoio pq entenderam o meu jeito de falar,eu naquele momento estava apenas mostrando q me sinto sim sem saber como aceitar q e difícil.Mas admiro sim a Nicete Bruno porque ela não me ofendeu em nem um momento apenas disse o q pensava,e talvez eu tambem possa um.dia dizer o mesmo.Tudo tem.seu tempo.
    Distorceram mas redes sociais como.se eu fosse um monstro,agora estou sendo ameaçada ate de morte.Preciso q me ajudem e me comprendam, que da parte de quem esta me ameaçando nao é bom.Após o programa todos me comprimentaraam e entenderam e conversamos e me expressei com eles,e não houve hostilidade nehuma.
    Agora devido tudo isso sofrer ameaças e chantagem ja é preconceito com o cidadão.
    Mas ja estão ciente de tudo q estão fazendo comigo.Tenho certeza que pessoas do bem nao faria esse tipo.de.maldade.Obrigada.

  2. Montserrat Allmonte

    Me chamo Iolanda, não consegui mudar o nome, pq no face leva algum tempo.depois q troca o nome.Mas me chamo Iolanda a entrevistada do encontro.