Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Notas Etílicas Por Saulo Yassuda Dicas, novidades e observações do mundo dos bares e das bebidas

Fechado definitivamente, bar Cateto vira clube de assinaturas

A casa dedicada a cervejas especiais e frios artesanais não resistiu à quarentena

Por Saulo Yassuda Atualizado em 3 jun 2020, 16h47 - Publicado em 3 jun 2020, 16h44

O Cateto não voltará a funcionar após a quarentena. Instalado em Pinheiros, o bar era um lugar para tomar cerveja artesanal e petiscar queijos, embutidos e curados de pequena produção. A casa não resistiu à crise agravada pela pandemia do coronavírus.

“Tentamos o delivery, que não foi nem de longe suficiente. Todo o fluxo fica com os apps. Nos recusamos a fazer parte de um sistema tão predatório”, afirma o sócio Eduardo Jarussi. “Fizemos algumas tentativas de linhas de crédito, negociações com credores e bancos e não conseguimos nada”, lamenta, em uma descrição que poderia ser feita por tantos outros empreendedores do ramo.

img_7400-jpg.jpeg
Uma das tábuas que eram vendidas: queijos, curados e embutidos Divulgação/Divulgação

O bar foi fundado em 2014 na Mooca e levou uma atmosfera hipster ao tradicional bairro da Zona Leste. Agradou logo de cara pela boa bebida, pela boa seleção de aperitivos e pela trilha sonora que misturava blues, country e folk.  Em 2015, ganhou uma filial em Pinheiros, que em 2019 virou a única morada.

“No começo, acreditávamos ser passageiro [o isolamento social]. Talvez um ou dois meses. Mas, diante da falta de perspectiva do momento de retorno, não houve como prosseguir”, lamenta Jarussi. “Sempre fomos um pequeno negócio, independente e descapitalizado, sem investidores. Nosso nicho pelo tipo de produto tanto nas bebidas como nas comidas oferecia margens muito apertadas e custos extremamente altos. Já era difícil sobreviver em tempos normais.”

00cx7894-jpg.jpeg
A casa pioneira: matriz ficava na Mooca e operou até 2019 Lucas Lima/Veja SP

Cestas por assinaturas

Com o fim do bar, os sócios apostam em um novo negócio: as cestas de produtos artesanais. Por meio de um sistema de assinaturas, o clube levará às casas dos clientes itens como queijos, frios, cervejas, café, mel e vinhos. Cadastros pelo site catetocrafters.com.br.

“Estamos tentando nos reinventar”, diz Jarussi, que se mudou para São Francisco Xavier, no Vale do Paraíba (SP), região da Serra da Mantiqueira.

Assine a Vejinha a partir de 6,90 mensais

Quer mais dicas? Siga minhas novidades no Instagram @sauloy.

Continua após a publicidade
Publicidade