Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Tudo Sobre Cinema

Johnny Depp é acusado de violência doméstica por Amber Heard

Quinze meses. Esse foi o tempo que durou o casamento de Amber Heard e Johnny Depp. O pedido de divórcio justificado por “diferenças irreconciliáveis” foi feito por ela na semana passada,  três dias após a morte da mãe do ator. Depp está na telona como o Chapeleiro Maluco de Alice Através do Espelho, que estreou esta semana. Nesta […]

Por VEJA SP Atualizado em 26 fev 2017, 11h42 - Publicado em 27 Maio 2016, 17h04
Amber Heard e JOhnny Depp: divórcio conturbado

Amber Heard e Johnny Depp: divórcio conturbado

Quinze meses. Esse foi o tempo que durou o casamento de Amber Heard e Johnny Depp. O pedido de divórcio justificado por “diferenças irreconciliáveis” foi feito por ela na semana passada,  três dias após a morte da mãe do ator. Depp está na telona como o Chapeleiro Maluco de Alice Através do Espelho, que estreou esta semana.

Nesta sexta (27), a imprensa internacional voltou a falar sobre o caso, justificando que o pedido de divórcio teria sido motivado por violência doméstica. De acordo com TMZ, a Amber acusa o ex-marido e ator Johnny Depp de ter quebrado um iPhone em seu rosto. A polícia foi chamada, no entanto, Amber preferiu não prestar queixa.

Amber Heard: agressão com celular (foto: reprodução/TMZ)

Amber Heard: agressão com celular (foto: reprodução/TMZ)

Ainda segundo o tablóide, Depp teria oferecido dinheiro para que ela ficasse calada. Em vez disso, a atriz teria entrado com um pedido de restrição judicial (quando o suposto agressor não pode se aproximar da vítima).

Em comunicado oficial, o ator declarou: “Espero por uma solução rápida para esse casamento curto”. Segundo a assessoria, “dada a pouca duração do casamento e a perda trágica recente de sua mãe, o Johnny não vai comentar qualquer história falsa, fofoca e boato sobre sua vida pessoal”.

+ Johnny Depp engana esposa em pegadinha e ela fica furiosa

+ Johnny Depp e Amber Heard pedem desculpas na Austrália por um motivo curioso

Por: Juliene Moretti

Continua após a publicidade
Publicidade