Clique e assine por apenas 6,90/mês
Blog do Lorençato Por Arnaldo Lorençato O editor sênior Arnaldo Lorençato é crítico de restaurantes há 27 anos. De 1992 para cá, fez mais de 15 000 avaliações de estabelecimentos. Além das atividades na Vejinha, leciona na Universidade Mackenzie

Festa de São Vito completa 100 anos

A grande celebração da culinária italiana tem fogões comandados por 20 mammas, que fazem massas, pastelões fritos, uma variedade de doces e outras gulodices

Por Arnaldo Lorençato - Atualizado em 3 Jun 2018, 09h47 - Publicado em 2 Jun 2018, 17h20

Um marco! Chega aos 100 anos a Festa de São Vito, padroeiro da cidade italiana de Polignano a Mare e cujo culto foi introduzido por imigrantes da Puglia, que se fixaram na região do Brás entre 1890 e 1900. A comemoração de origem religiosa se tornou um grande evento 42 anos atrás, quando passou a ser realizada em frente à Igreja de São Vito Mártir na mesma área fechada que ocupa até hoje. Atualmente, envolve 80 voluntários servindo a tão apreciada comida italiana. E faz parte do calendário culinário e turístico da cidade.

Para preparar pratos e doces típicos, 20 mammas tomam conta do fogão. Junto com uma equipe muito empenhada, elas chegam a alimentar um batalhão de até 4.000 pessoas a cada noite em uma grande praça de alimentação. Haja disposição para trabalhar, já que os números impressionam. São cerca de 160.000 mil porções de espaguete, penne e ricchitelle, 60.000 do pastelão, 30.000 ficazze (pizza alta) e 4.000 quilos de fígado bovino para preparar espetos chamados de guimirella. Isso sem contar 5.000 quilos de antepasto e mais 40.000 doces típicos. Um apetite sem fim ao longo de pouco mais de um mês de duração dos festejos.

Mammas em festa: disposição para alimentar um batalhão de pessoas todas as noites Divulgação/Divulgação

É nesse espaço fechado com ingressos a 5 reais (crianças de até 5 anos não pagam) que se encontram barracas com receitas como ficazza (pizza alta), ficaccella (pastelão frito com batata na massa, recheio de tomate, mussarela e orégano), guimirella (espeto de fígado bovino perfumado com folhas de louro) e as massas espaguete, penne e ricchitelle, que podem ser banhadas nos molhos al sugo, putanesca e o chamado ragu clássico, cozido longamente com pomodoro e basilico.

Ficazza: pizza alta e uma das receita favoritas do público Divulgação/Divulgação

De entrada, há o antepasto de berinjela, pimentão vermelho, cebola, cogumelo em conserva, uva-passa branca, azeitona verde, alho, orégano e medidas iguais de azeite e vinagre, finalizado no forno. Doces típicos completam a oferta de gulodices: piccicatella doce (rosquinha passada calda de açúcar e limão), amaretto (biscoito de amendoim moído com essência de amêndoa, clara de ovos e açúcar), castagnelle (biscoito de amendoim torrado), sfogliatella (massa folhada recheada de ricota e frutas cristalizadas), pastiera di grano (torta de trigo, ricota, frutas secas, frutas cristalizadas) e cannoli.

Continua após a publicidade
A imagem de São Vito: missa e procissão no domingo, 17 de junho Divulgação/Divulgação

Para quem prefere o conforto de comer sentado em torno de uma mesa, há um segundo ambiente, a cantina. Na realidade, trata-se de um grande restaurante para 480 pessoas. De lá, pode-se assistir com tranquilidade aos shows de música italiana nos vinte lugares numerados enquanto são servidos uma porção de antepasto, um prato de espaguete ou penne e uma ficazzella. No sábado, sai a 75 reais. No domingo, fica mais em conta. Custa 30 reais com cardápio composto apenas de um prato de espaguete ou penne.

Guimirella: espeto de fígado bovino, do qual se consomem mais 4 toneladas Divulgação/Divulgação

São duas entradas distintas para aproveitar as noites de comemoração. Chega-se à praça de alimentação pela Rua Polignano A Mare, 255, pagando ingresso de 5 reais (grátis para crianças até 5 anos acompanhadas dos pais). Quem preferir a cantina, tem acesso pelo Rua Fernandes Silva, 96. Nesse caso, o valor é 75 aos sábados e 30 reais aos domingos. Os ingressos para a cantina são vendidos apenas com reserva pelos telefones 3227-8234, 3229-5678 e 3326-2957.

Sfogliatella: um dos doces mais pedidos Divulgação/Divulgação

A abertura neste sábado (2) está prevista a partir das 19h30. Prossegue depois aos sábados e domingos, sempre a partir das 19h.

A festa, tradicionalmente organizada pela Associação Beneficente São Vito Mártir, tem como sede o ginásio da Creche São Vito, inaugurada em 9 de outubro de 1986.  Toda a renda arrecada durante os dias de comilanças se destina à manutenção da creche que atende gratuitamente mais de 100 crianças.

Continua após a publicidade
Piccicatella; rosquinha doce banhada no açúcar e limão Divulgação/Divulgação

Para os religiosos, vale anotar no calendário a homenagem a São Vito, celebrada neste ano no domingo, 17 de junho, com uma missa solene às 16h30, seguida de uma procissão pelas ruas do Brás com a imagem do santo trazida pelos imigrantes pugliese que aqui chegaram em 1895.

Festa de São Vito.
Rua Polignano A Mare, 255, Brás, tel. 3227-8234, 3229-5678 e 3326-2957.
Sábado, 19h/0h30; domingo; 19h/23h. 2 de junho a 15 de julho.

Obrigado pela visita. Aproveite para deixar seu comentário, sempre bem-vindo, e curtir a minha página no Facebook. Também é possível receber as novidades pelo Twitter e seguir minhas postagens no Instagram.

Publicidade