Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Mulher é enganada ao comprar mini porco em SP e animal chega a 250 kg

Lilica virou bicho de estimação, come 5 quilos de comida por dia e dorme no próprio colchão

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 4 dez 2021, 12h18 - Publicado em 4 dez 2021, 12h16

Uma moradora de Peruíbe, no litoral de São Paulo, adotou há três anos um filhote de porco com a promessa de que não cresceria. ‘Lilica’, como foi batizada, acabou crescendo e hoje pesa 250 quilos, mas conquistou a tutora Rosângela Martins dos Santos de Lara, de 50 anos.

A porca tem a própria cama, come cerca de 5 kg de comida por dia e é bem tratada por toda a família. Rosângela conta que viu uma porquinha na casa de uma amiga e também quis comprar um animal para chamar de seu,  já que se tratava de um ‘mini porco’, que não cresceria. “O moço [vendedor] me enganou, falou que ela ia ficar pequena. Ela era o filhote menor que tinha”, disse.

Lilica foi comprada como um mini porco, mas ficou gigante — Foto: Arquivo Pessoal

A porca é criada dentro de casa e divide o quarto com Rosângela e o marido. Lilica tem o próprio colchão, dorme com o ventilador ligado para se refrescar e, de acordo com a tutora, é até mais adestrada que os cachorros da família porque faz as necessidades no lugar certo e volta dos passeios sozinha.

“Ela foi crescendo, crescendo, e fui vendo que de mini porco não tinha nada. Agora, está esse ‘monstro’”, brinca a tutora. Lilica come frutas, legumes e ração e atualmente pesa 250 kg e mede 1,60. Rosângela recebe ajuda de outras pessoas para alimentá-la. 

“Chegaram a me oferecer R$ 1.500 para matá-la e comer. Mas eu disse: minha porquinha não está à venda. Quem quiser comer, vai no frigorífico”, finaliza.

Lilica está com Rosângela há 3 anos e vive em Peruíbe, SP — Foto: Arquivo Pessoal

Continua após a publicidade

Publicidade