24 horas

Virada Cultural: saiba tudo sobre o evento

Evento com cerca de 900 atrações ocorre durante o fim de semana, das 18h de sábado (18) às 18h de domingo (19)

Por: Redação VEJA SÃO PAULO - Atualizado em

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Com cerca de 900 atrações espalhadas pela cidade, a Virada Cultural chega à sua nona edição entre este sábado (18) e domingo (19), com atrações como Gal Costa, Elza Soares + Gaby Amarantos, Jorge Mautner, Criolo, Pharoah Sanders, Céu e Otto, além de apresentação de filmes, peças, shows de humor e dança espalhados pelo centro da cidade, Sescs e espaços culturais.

 

 

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Este ano, Paulo Vanzolini (que terá um palco com seu nome no Pátio do Colégio), Chorão e Marku Ribas serão homenageados. O cineasta Carlos Reichenbach também está na lista dos nomes lembrados. Entre as novidades, está um palco de choro no Mercado Municipal e um de MPB na Rua 25 de Março. Uma virada especial só para crianças, a Viradinha. 

Na Avenida São Luis, no domingo (19), das 8h às 18h, haverá a segunda edição dos Chefs na Rua na Virada Cultural. Chefs de restaurantes famosos vão vender suas delícias a preços populares. Participam: Jefferson Rueda, do Attimo, Raphael Despirite, do Marcel, Dagoberto Torres, do Suri, Juliana Motter, do Maria Brigadeiro, Marcelo Pinheiro, do Tarsila e Janaina Rueda, do Bar da Dona Onça.

A Praça Roosevelt também será ocupada no final de semana mais aguardado dos paulistanos: o teatro terá sua vez ali. Espetáculos como As Três Velhas, com Maria Alice Vergueiro, Chorinho, com Denise Fraga, e O Terraço, com Vera Zimmermann, estão no cronograma.

Maria Brigadeiro
Maria Brigadeiro: docinhos adoçam a feira na Av. São Luís (Foto: Caroline Bittencourt)

Daniela Mercury e Zimbo Trio abrem o palco Júlio Prestes, no dia 18 de maio. Fafá de Belém e Lobão anunciaram suas presenças pelo Twitter. A cantora fará o encerramento no palco do Largo do Arouche (espaço dedicado às lambadas, axés e aos carimbós), e Lobão abre o palco do rock, na Avenida São João.

Entre as atrações da praça da República está o Fundo de Quintal. Atualmente formado por Bira Presidente, Ubirany, Sereno, Délcio Luiz, Ademir Batera e Ronaldinho do Banjo, o grupo deve se encontrar com alguns de seus ex-integrantes: Jorge Aragão, Sombrinha, Mário Sérgio, Cleber Augusto e Fábio Silva, cotados para apresentações individuais. O evento também confirmou o Raça Negra --Juca Ferreira, secretário de Cultura, contou durante uma coletiva de imprensa sobre o evento que recebeu um morador de rua no centro da cidade foi quem pediu a presença dos sambistas.

O norte-americano George Clinton, fundador das bandas de funk Parliament e Funkadelic, e o duo de hip-hop Black Star, formado por Mos Def (agora Yasiin Bey) e Talib Kweli, compõem a lista em parceria com o Sesc. Com isso, além de se apresentar no palco principal, na Praça Júlio Prestes, Clinton faz outro show no Sesc Ipiranga, no dia 19 (com entrada gratuita), e a dupla de rap se encontra com os fãs também no Sesc Pinheiros, no dia 17 (ingressos já esgotados).

Mais importante banda de rap do Brasil, o Racionais MC´s foram a primeira atração anunciada. O grupo liderado por Mano Brown não se apresenta na Virada desde 2007, quando o show do grupo, na Praça da Sé, terminou devido a um confronto entre o público e a Polícia Militar. Os rappers se apresentam às 15h do dia 19 de maio, também na Júlio Prestes.

Lobão
Lobão (Foto: Divulgação )

Virada o ano todo

A cada encontro com a imprensa, o secretário municipal de Cultural Juca Ferreira faz questão de reforçar que está trabalhando para que a cidade tenha “Virada o ano todo”. "Temos que superar essa tensão de querer colocar tudo dentro da Virada, porque ela não comporta”, justifica.

Segundo ele, a formação da chamada Comissão de Curadoria Colegiada para a edição deste ano é um “embrião para um futuro setor de eventos dentro da Secretaria”, ao qual caberia a função de criar uma agenda cultural gratuita anual.

Até então centralizada nas mãos de José Mauro Gnaspini, a curadoria da Virada Cultural ganhou oito integrantes: o jornalista Alex Antunes, o produtor Alexandre Youssef (sócio do Studio SP), a midiartista Giselle Beiguelman, o crítico musical Marcus Preto, a mestre em teatro Maria Tendelau, o consultor e curador musical Pena Schmidt, o poeta e fundador da Cooperifa Sérgio Vaz e o doutor em Ciências Sociais Tião Soares.

De acordo com Ferreira, a secretaria procurou deixar a comissão "bem à vontade" para formular uma proposta de programação. "Mas a gente sugeriu algumas coisas. Primeiro, uma abertura no chão, e não nos palcos, para manifestações populares da cidade e de outras partes do Brasil", exemplifica. A sugestão foi colocada em prática e tornou-se uma das grandes apostas do evento.

A diversificação da programação, com maior participação do teatro, da dança e das artes plásticas, uma das metas para o ano, também pode ser observada na programação.

Daniela Mercury
Daniela Mercury (Foto: Célia Santos )

O evento

A Virada Cultural ocorre desde 2004 em São Paulo e reúne centenas de atrações, de graça, em 24 ininterruptas de programação.

Nos últimos anos, cerca de 3 milhões de pessoas (a cada edição) circularam pelo centro da cidade para ouvir música de todos os gêneros, assistir a peças de teatro,  shows de stand-up, coreografias de balé, videomaping, intervenções nas ruas, enfim, variadas formas de manifestações artísticas foram vivenciadas pelo público.

A maior parte dos eventos ocorre no centro velho, mas unidades do Sesc e CEUs, museus e centros culturais também costumam participar. Para saber como foi a edição de  2012, clique aqui.

Fonte: VEJA SÃO PAULO