Gastronomia

PikNik Faria Lima fecha as portas

Foodpark encerrou as atividades nesta semana. Espaço deve se transformar em estacionamento

Por: Veja São Paulo

Após a euforia inicial da legalização da comida de rua, o modelo de foodparks, aqueles espaços privativos para food trucks e barraquinhas, enfrenta sua maior baixa. Depois do fechamento do Butantan Food Park (hoje, o espaço abriga o Vila Butantan) e da vida breve do Marechal Food Park, o PikNik Faria Lima  anunciou o encerramento das suas atividades nesta semana.

Piknik
Primeira fase do PikNik Faria Lima: espaço arrendado pela Kqi Produções encerrou as atividades (Foto: Mariana Oliveira)

+ Em vídeo: a trajetória da comida de rua em SP

Por trás dos empreendimentos estava Maurício Schuartz, da KQi Produções. "O modelo de foodpark está saturado", afirma Schuartz. "Criei um monstro", brinca, em relação ao seu pioneirismo. O produtor cultural foi o organizador do Chefs na Rua, na Virada Cultural de 2012, que arrastou multidões para o Minhocão atrás da galinhada do Alex Atala.

Vila Butantan
Vila Butantan: remanescente na ativa (Foto: Divulgação)

+ Teste das feirinhas gastronômicas da cidade

Não é o primeiro abalo que o mercado sofre. No ano passado, diversos trucks decidiram abandonar as ruas e montar pontos fixos. Otimista, Maurício Schuartz acredita que a comida de rua ainda passa por um bom momento.

Marechal Food Park
Marechal Food Park: vida breve (Foto: Nicholas Vital )

"Vamos batalhar por um modelo público que organize a comida de rua fora dos espaços privados", diz Schuartz. "O importante é não elitizar ou gourmetizar o que deveria ficar na rua."

Fonte: VEJA SÃO PAULO