Gastronomia

Instituto Ata, de Alex Atala, inaugura boxes no Mercado de Pinheiros

Os quatro novos espaços representam diferentes biomas brasileiros e vendem alguns produtos ainda pouco conhecidos fora de suas regiões de origem

Por: Jennifer Detlinger - Atualizado em

Mercado de Pinheiros: box Amazônia
Boxes da Amazônia e da Mata Atlântica fazem parte do projeto (Foto: Jennifer Detlinger)

Dois meses após a abertura do Mocotó Café, o Mercado Municipal de Pinheiros ganhou outra ótima novidade. Sob a batuta do Instituto Atá, do chef Alex Atala, em parceria com a Prefeitura de São Paulo, foram inaugurados na terça (1º) quatro boxes que representam cinco biomas brasileiros: Caatinga e Cerrado, Mata Atlântica, Amazônia e Pampas.

+ Veto ao foie gras é considerado inconstitucional

Mercado de Pinheiros: box Caatinga e Cerrado
Os boxes da Caatinga e do Cerrado no Mercado de Pinheiros (Foto: Jennifer Detlinger)

Instalados no primeiro pavimento do Mercado, os novos espaços têm o mesmo projeto gráfico e exibem cerca de 600 alimentos e produtos vindos de pequenos produtores. No box que representa a Amazônia, por exemplo, dá para encontrar pimenta baniua, azeite de castanha, geleias, farinhas e artesanatos. Os boxes são administrados por diferentes parceiros. O Instituto Atá e Auá juntaram-se ao Instituto Socioambiental para desenvolver o da Mata Atlântica e da Amazônia.

O restaurante Mocotó, do chef Rodrigo Oliveira (olha ele de novo!), também faz parte do projeto ao lado da Central do Cerrado na representação da Caatinga e do Cerrado. A embaixada dos Pampas fica nas mãos de Marcos Livi, gaúcho e proprietário dos bares Veríssimo e Quintana Bar. Neste último, vale avisar, é possível comprar de queijos serrano e colonial, à erva mate, vendida a granel -- coisa bem rara de se encontrar na capital.

+ Ex-Fasano, chef Salvatore Loi abrirá dois restaurantes na cidade

Mercado de Pinheiros: box Pampas
Erva mate vendida a granel, no bos dos Pampas (Foto: Jennifer Detlinger)

Mais para frente, o espaço da área em comum no Mercado (que soma 45 boxes em funcionamento) será ocupado para alguns cursos, degustações e intervenções artísticas. 

+ Relembre bares que marcaram época em São Paulo

Fonte: VEJA SÃO PAULO