Restaurantes e lanchonetes servem receitas com o kobe beef

Confira lançamentos preparados com a carne vermelha de gado wagyu

Entre as carnes vermelhas, a extraída de gado wagyu é hoje a de maior prestígio. O produto, original do Japão, ganhou o mundo conhecido comokobe beef. Sua principal diferença em relação aos cortes de outras raças está no sabor e na maciez propiciados pelo alto nível de marmoreio — aquela apetitosa quantidade de gordura entremeada às fibras.

Até agora, a forma mais comum de encontrar a untuosa (e cara) peça na cidade era preparada na grelha. Outras versões com a mesma matéria-prima têm ganhado espaço nos menus, até em endereços japoneses, como o Kinoshita, na Vila Nova Conceição, e o Nakka, no Itaim, que serve uma dupla de sushis de kobe por 28 reais.

 

O contemporâneo Cantaloup, no Itaim, promoveu em outubroum festival dedicado ao kobe, neste caso trazido da Austrália. A porção de três mini-hambúrgueres finalizados por ovos de codorna (41 reais) emplacou e ganhou lugar fixo no bar. “Os clientes gostam de cortar a carne só com o garfo, tamanha a sua maciez”, diz o restaurateur Daniel Sahagoff.

A Hamburgueria Nacional, no Itaim, do chef Jun Sakamoto, que tem desde outubro entre ossócios o especialista Arri Coser, criador da rede Fogo de Chão e hoje dono da NB Steak, acaba de lançar um lanche de 225 gramas. Custa 70 reais.

Hambúrguer de kobe. Hamburgueria Nacional.

Hambúrguer de kobe. Hamburgueria Nacional.

Quem estranhou a ideia pode se surpreender ainda mais ao saber que a carne também é transformada em alguns tipos de frio. Nas receitas do gênero, porém, não são usados cortes nobres como picanha e contrafilé. No AK Vila, na Vila Madalena, a chef Andrea Kaufmann traz de volta ao menu o sanduíche de pastrami de wagyu com picles e mostarda no pão integral (36 reais).

Pastrami de kobe. AK Vila.

Pastrami de kobe. AK Vila.

“A maior vantagem é não desperdiçar nada”, afirma o chef André Mifano, do italiano Vito, na Vila Beatriz. Lá, uma porção de oito fatias do mesmo frio sai por 43 reais. A matéria-prima escolhida por Mifano vem da marca Beef Passion e abastece também o espanholClos de Tapas. Por 99 reais, prova-se o acém. “Malpassado, fica mais macio e suculento”, diz a chef Ligia Karazawa.

Acém de kobe. Clos de Tapas.

Acém de kobe. Clos de Tapas.

ONDE ENCONTRAR

AK Vila

Cantaloup

Clos de Tapas

Hamburgueria Nacional

Kinoshita

Nakka

Vito

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s