Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

SP tem ocupação de UTIs acima de 90% pelo 22º dia consecutivo

Apesar de o estado estar na fase emergencial, a taxa de lotação dos leitos segue alta

Por Redação VEJA São Paulo 6 abr 2021, 17h45

O estado de São Paulo chegou ao 22º dia consecutivo com a taxa de ocupação de Unidades de Tratamento Intensivo (UTI) acima dos 90% para pacientes com Covid-19. Nesta terça-feira (6), tanto o estado de São Paulo quanto a Região Metropolitana da cidade têm 90% de ocupação de leitos de UTI. Em números, são mais de 29 000 pessoas internadas em todo o estado, sendo quase 13 000 em leitos de UTI.

O estado também bateu recorde de 1.389 mortes registradas em 24 horas por Covid-19 em meio à fase emergencial. Pelo menos 555 vítimas morreram à espera de um leito de UTI no estado de São Paulo desde o início de março.

Desde o início da fase emergencial, no dia 15 de março, a taxa de ocupação das UTIs subiu até atingir um nível recorde de 93,6% no dia 1º de abril. Depois, começou a cair pouco a pouco.

“A intensidade da queda [nos casos] pode inclusive ser uma indicação da eficácia das medidas. Mas isso aí normalmente leva mais de duas semanas para começar a ser percebida na transmissão e no número de casos, se a testagem for rápida”, disse ao G1 o epidemiologista e infectologista do Hospital Universitário da Universidade de São Paulo (USP), Márcio Bittencourt. 

Segundo o especialista, a demora será ainda mais longa para que o estado comece a perceber queda em internações e mais ainda em óbitos. O número de novas internações por dia também bateu recorde durante a fase emergencial. A média móvel estava em 3.399 no dia 26 de março. Depois deste pico, o número entrou em leve queda. 

A fase mais restritiva do Plano São Paulo está vigente até o dia 11 de abril no estado.

+Assine a Vejinha a partir de 6,90.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade