Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Covid-19: Brasil registrou uma morte a cada 30 segundos nesta terça (16)

País segue no topo de lista com maior número de óbitos diários pela doença no mundo, superando EUA e Itália

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 16 mar 2021, 21h23 - Publicado em 16 mar 2021, 21h21

2 798 pessoas perderam a vida para a Covid-19 nesta terça-feira (16). O índice é, mais uma vez, um recorde no número de mortes diárias registrados durante a pandemia no Brasil: é como se uma pessoa morresse a cada 30,8 segundos pela doença.

Foram registrados 282 400 mortos desde março do ano passado. Nas últimas 24 horas, 81 124 novos casos de Covid-19 foram diagnosticados e desde a última semana, 13 832 pessoas perderam a vida para o coronavírus.

O Brasil segue como o país em que mais pessoas morrem diariamente por Covid-19, superando os Estados Unidos, que vive uma queda nos índices da pandemia. Nos EUA, nesta terça, foram 1 076 óbitos pela doença. O terceiro colocado da lista, copilada pela plataforma Worldometers, é a Itália, com 502 óbitos.

Os dados nacionais são do consórcio de veículos de imprensa formado por Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha, e Uol. 

SÃO PAULO

O estado registrou nesta terça 679 mortes pela doença nas últimas 24h, maior índice paulista até então. Por aqui, o número de pacientes internados com a doença é de 24 992 pessoas, sendo 10 756 em UTIs e 14 236 em enfermarias. A taxa de ocupação das UTIs no estado está em 90% e na Grande São Paulo, 90,6%.

Nesta segunda-feira (15) entrou em vigor a nova fase emergencial do Plano São Paulo, com medidas mais duras de restrição, que se estendem até o dia 30, e tem como objetivo conter a sobrecarga em hospitais de todo o estado e frear o aumento de novos casos, internações e mortes pelo coronavírus. O governador João Doria não descarta tomar medidas mais duras caso a fase atual seja insuficiente.

Continua após a publicidade
Publicidade