Tenda do Nilo (Desde 1999)

Tipos de Restaurantes: Árabes
VejaSP
starsstarsstarsstarsstars
Endereço: Rua Coronel Oscar Porto, 638 - Paraíso - São Paulo - SP ver no mapa
Telefone: (11) 38850460
Horário:
segunda-feira
12:00 - 15:00
terça-feira
12:00 - 15:00
quarta-feira
12:00 - 15:00
quinta-feira
12:00 - 15:00
sexta-feira
12:00 - 15:00
sábado
12:00 - 15:00
domingo
Fechado
payment

Formas de pagamento

Cartões de débito: Visa Electron

check_circle

Informações adicionais

Lugares/Capacidade total (23), Levar vinhos (permite) (R$ 24,00)

Resenha por Arnaldo Lorençato e Saulo Yassuda

Os fãs não abrem mão de conseguir um lugar no pequeno e sempre lotado restaurante das irmãs Olinda Isper, responsável pelo salão, e Xmune Isper, autora das pedidas libanesas. De uma leveza exemplar, o ótimo quibe frito ganha a doçura da generosa quantidade de cebola adicionada à carne moída (R$ 9,80). Do quarteto de pastas (R$ 40,50), o homus sedoso não tem concorrência. Fãs de carne podem ficar com a cafta exuberante em condimentos (R$ 35,80) ou com a costela servida com trigo (R$ 49,50). Mil e uma noites batiza uma sobremesa formidável.

Informações checadas entre agosto e outubro de 2019.

    Comer e beber

    • 2019 - Participante

      Comer & Beber .

      Os fãs não abrem mão de conseguir um lugar no pequeno e sempre lotado restaurante das irmãs Olinda Isper, responsável pelo salão, e Xmune Isper, autora das pedidas libanesas. De uma leveza exemplar, o ótimo quibe frito ganha a doçura da generosa quantidade de cebola adicionada à carne moída (R$ 9,80). Do quarteto de pastas (R$ 40,50), o homus sedoso não tem concorrência. Fãs de carne podem ficar com a cafta exuberante em condimentos (R$ 35,80) ou com a costela servida com trigo (R$ 49,50). Mil e uma noites batiza uma sobremesa formidável.

      Arnaldo Lorençato e Saulo Yassuda

    • 2018 - Participante

      Restaurantes Árabes Comer & Beber .

      Com enorme simpatia, Olinda Isper toma conta do salão apertadinho, que se expande pelas mesas da calçada. A irmã, Xmune, encara a possivelmente menor cozinha de restaurante da cidade para preparar delícias árabes. Guardiã das tradições, Olinda ensina a maneira original de provar pratos como o quibe cru (R$ 39,80). Deve ser amassado com bastante azeite e saboreado numa pétala de cebola. Montado na hora, o fatte (R$ 73,40) é preparado com pão torrado, carne, grão-de-bico e coalhada fresca temperada, tudo salpicado de castanha-de-caju e alho fritos na manteiga. Bolo de semolina com camada de creme de nata salpicada de pistache moído e calda de flor de laranjeira, o mil e uma noites (R$ 29,00) tem textura e doçura adoráveis. (Informações checadas entre julho e setembro de 2018).

      Arnaldo Lorençato, Helena Galante e Saulo Yassuda

    • 2017 - Participante

      Restaurantes Árabes Comer & Beber .

      Numa esquina do Paraíso fica este sucesso árabe comandado pelas irmãs Olinda (atendimento) e Xmune (cozinha). Dá para começar com o quarteto de pastas (R$ 37,50), mas há alternativas até mais atraentes. O quibe frito (R$ 9,50) tem massa fina e sequinha com o interior oco onde se encontra a carne bem temperada. Com um irresistível toque defumado, a salada de berinjela (R$ 32,80) vem com cubinhos da hortaliça. Rica em tempero, a costela desfiada com trigo (R$ 46,50) continua a fazer bonito entre os pratos principais. Sim, o mil e uma noites (bolo de semolina com camada de creme de nata salpicada de pistache moído e calda de flor de laranjeira; R$ 27,50) continua imbatível na hora das sobremesa. (Preços checados em setembro/outubro de 2017.)

      Arnaldo Lorençato, Helena Galante e Saulo Yassuda

    • 2016 - Participante

      Restaurantes árabes Comer & Beber .

      Seja no salão apertadinho, seja nas poucas mesas da calçada, quem faz o atendimento e o papel de manual de instruções da culinária árabe é Olinda Isper. A irmã dela, Xmune, encarrega-se da cozinha. Como as esfihas desapareceram do cardápio, vá de quibe frito sequinho (R$ 8,50). Fãs das pastas típicas não podem perder a muhamara (R$ 35,00), preparada com pimentão vermelho, mas podem passar a coalhada seca (R$ 33,00), que vez ou outra vem líquida demais. O faláfel (R$ 35,50), aquele bolinho de fava e grão-de-bico, dá vontade de pedir bis. Dica esperta: a casa não aceita cartões de crédito. (Preços checados em setembro/outubro de 2016.)

      Arnaldo Lorençato, Helena Galante e Saulo Yassuda

    • 2015 - Participante

      Restaurantes árabes Comer & Beber .

      Guarde duas datas especiais: a Páscoa e o Natal. Só nessa época o pitoresco restaurante prepara o mamul. O delicioso bolinho recheado fica muito melhor na sua versão de nozes. Espremido em uma esquina do Paraíso, o minúsculo salão serve uma comida que quase sempre nos leva ao céu. É o caso das pastas muhamara (R$ 32,00), feita de pimentão vermelho com um delicioso toque de nozes, e o imbatível babaganuche (R$ 29,50), o conhecido creme de berinjela. Pule, porém, a coalhada seca (R$ 29,50) quase sem acidez e o homus (R$ 29,50), que vez ou outra vem com um toque a mais de alho. Infelizmente, as esfihas desapareceram da cozinha, deixando o cardápio desfalcado. Essa ausência pode ser compensada de alguma forma com um dos bons quibes fritos (R$ 8,50 a unidade) da cidade. Ele traz bastante cebola no recheio, o que lhe confere um sabor leve e discretamente adocicado. O fatte (R$ 64,00), combinação de carne em pedaços, grão-de-bico e pão árabe torrado cobertos por coalhada seca com alho e xerém fritos na manteiga, continua a pedida entre os pratos principais. Bônus extra é a simpatia das proprietárias, as irmãs Olinda e Xmune Isper, a primeira responsável pelo atendimento e a segunda, pela cozinha. (Preços checados em setembro/outubro de 2015).

      Arnaldo Lorençato e Helena Galante

    • 2014 - Indicado

      Restaurantes árabes Comer & Beber .

      As irmãs Olinda e Xmune Isper não apenas comandam um dos melhores restaurantes libaneses da cidade. São também guardiãs de ótimas receitas feitas de maneira artesanal, quase caseira. Ocupada em atender a clientela, Olinda dá as boas-vindas com um sorriso estampado e chamando os clientes de habibe, ou meu querido, em árabe. Também dá instruções a cada um deles para que aproveitem melhor a refeição. Com uma pequena equipe, Xmune finaliza as sugestões em uma cozinha de apenas 4 metros quadrados. Faz maravilhas como a salada de berinjela misturada a tomate e cebola (R$ 27,50) e o faláfel (R$ 29,90), os bolinhos de fava e grão-de-bico, que chegam à mesa segundos depois de ser fritos com molho tahine. Servido em duo, o misto de charutos de folha de uva e trigo com costela bovina desfiada (R$ 38,80) convence qualquer paladar da união de simplicidade de ingredientes e pluralidade de sabores. Passaporte para um mundo de pura doçura, o mil e uma noites é um bolo de semolina com camada de creme de nata salpicada de pistache (R$ 24,90). Detentor do título de melhor árabe da cidade no ano passado, o Tenda do Nilo ficou com um honroso segundo lugar nesta edição. (Preços checados em setembro/outubro de 2014).

      Arnaldo Lorençato e Helena Galante

    • 2013 - Vencedor

      Restaurantes árabes Comer & Beber .

      “Habibe, por favor, não coloque limão no quibe. É o mesmo que pôr ketchup na pizza”, alerta Olinda Isper, brasileira nascida no Líbano, a um cliente que teimava em temperar o prato que acabava de receber. Cheia de simpatia, ela explica como são as sugestões, ajuda a escolhê-las e ensina a melhor maneira de saboreá-las, além de tratar o público carinhosamente de habibe (meu querido, em árabe). Cabea ela cuidar do atendimento na pequena casa, inaugurada catorze anos atrás. Também abre as esfihas de massa delicada com recheio de carne (R$ 4,50 a unidade). Se Olinda pode ser considerada a alma do salão, sua irmã, Xmune, é o coração do Tenda do Nilo, premiado duas vezes como Bom e Barato em edições anteriores do especial “Comer & Beber”. Com mãos habilidosas, elabora todas as outras receitas. No apartamento onde mora, a uma quadra dali, faz o pré-preparo da maioria delas. A finalização é na minúscula cozinha do restaurante, de apenas 4 metros quadrados, pouco maior que um lavabo. O que leva os paulistanos aos sábados a amargar espera de pelo menos uma hora na calçada? Essa é fácil: o quarteto de pastas (homus, babaganuche, coalhada seca e muhamara, o delicioso creme de pimentão vermelho e nozes; R$ 30,90), os charutinhos de folha de uva (R$ 32,80) e o, sem dúvida, melhor fatte da cidade, composto de pão torrado, carne, grão-de-bico, coalhada fresca, alho e castanha-de-caju (R$ 56,50)... (Preços checados em setembro/outubro de 2013).

      Arnaldo Lorençato e Helena Galante

    • 2012 - Indicado

      Restaurantes Árabes Comer & Beber .

      Minúsculo endereço familiar, comandado pelas irmãs Olinda e Xmune Isper. Enquanto Olinda abre um sorriso e dispara um encantador habibe (querido em árabe) para a clientela, Xmune, ou Simone em versão aportuguesada, prepara uma série de delícias em uma cozinha que deve ter no máximo 3 metros quadrados. De lá vem o quibe frito de casquinha crocante, interior úmido e pródigo em aromas. Não menos encantadora é a versão crua para ser misturada a cebola e hortelã fresca. O 4 em 1 reúne as pastas muhamara, coalhada seca, homus e um babaganuche com um irresistível toque defumado. Impossível não pedir o fatte, preparado com louvor. Combina pão torrado e carne com grão-de-bico regados por coalhada fresca, sobre a qual se salpicam alho e castanha-de-caju fritos. Divina, a sobremesa mil e uma noites reúne camadas de bolo de semolina e creme de nata acrescido de pistache. Foi contemplado com 2 votos do júri do “Comer & Beber”.

      Veja SP

    • 2011 - Indicado

      Restaurantes Árabes Comer & Beber .

      Diariamente formam-se filas de espera na porta deste minúsculo representante libanês, que recebeu um voto do júri de VEJA SÃO PAULO. A sós ou em grupos numerosos, os clientes fiéis buscam as delícias árabes preparadas por Xmune Isper. De uma viagem pelo Líbano, a cozinheira introduziu novidades, entre elas o caprichado tajem de atum (ao molho de tahine incrementado por especiarias, castanha-de-caju e alho frito na manteiga) e a salada de berinjela. De entrada, o quarteto de pastas, combinação de homus, babaganuche, coalhada seca e muhamara (pimentão vermelho e nozes), é imbatível. No arremate, prove o mil e uma noites, um bolo de semolina e creme de nata ao pistache. Chama atenção no Tenda do Nilo o atendimento quase afetuoso de Olinda Isper, irmã de Xmune, que trata todos os fregueses por “habibe”, o equivalente a querido em árabe.

      Veja SP

    • 2010 - Participante

      Restaurantes Árabes Comer & Beber .

      Estabelecimento faz parte da edição Comer & Beber 2010/2011

      Veja SP

    • 2007 - Vencedor

      Restaurantes Comer & Beber .

      Fica difícil imaginar como em um espaço tão minúsculo a cozinheira Xmune Isper consegue preparar tantas delícias libanesas. Também não é fácil decidir qual delas pedir. Nesse caso, siga as recomendações de Olinda, irmã de Xmune e responsável por recepcionar os clientes. Entre as sugestões, o faláfel (bolinho de grão-de-bico) vem coberto por uma saladinha (tomate picado, salsinha e pepino em conserva ao molho tahine) ou enrolado em pão sírio na forma de sanduíche. Semelhante a uma lasanha na montagem, a berinjela dourada no azeite e disposta em camadas entremeadas de coalhada expressa toda a intensidade dos temperos. Servida fria, entra em cartaz somente aos sábados. Originalmente um prato reservado para a Quaresma, o charuto de folhas de couve acaba de entrar no cardápio. No lugar da carne, leva recheio vegetariano de arroz, grão-de-bico e tomate. Para continuar no clima das arábias, peça de sobremesa o mil e uma noites, um bolo de semolina coberto por creme à base de nata e pistache moído. Com esse cardápio bom e barato, a casa fatura os votos do júri pela segunda vez consecutiva.

      Veja SP

    • 2006 - Vencedor

      Restaurantes Comer & Beber .

      É um achado. Por trás da fachada modesta, esse minúsculo restaurante libanês do Paraíso (minúsculo mesmo; tem apenas 21 lugares) revela-se um dos melhores árabes da cidade. As proprietárias, as irmãs Olinda e Xmune Isper, fazem um trabalho fenomenal. Na cozinha, Xmune, conhecida por Simone, reproduz ótimas receitas ensinadas pela mãe, de origem síria. Cabe a Olinda recepcionar a freguesia. Louvável, o quarteto de pastas compõe-se de homus (grão-de-bico), babaganuche (berinjela), muhamara (pimentão) e coalhada seca. O trigo cozido com costela de boi desfiada e grão-de-bico ao aroma de especiarias brilha no menu e pode ser pedido na companhia de charutinho de folha de uva. Outra delícia, o fatte combina pão árabe torrado coberto por carne, grão-de-bico e coalhada fresca ao alho. Esses pratos contam com a vantagem de ter preços camaradas, razão pela qual o Tenda do Nilo sagra-se pela primeira vez o restaurante bom e barato do ano.

      Veja SP

    Comentários
    Deixe um comentário

    Olá,

    * A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

    Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

    Logotipo do WordPress.com

    Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

    Foto do Google

    Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

    Imagem do Twitter

    Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

    Foto do Facebook

    Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

    Conectando a %s