Clique e assine por apenas 6,90/mês

Forfé

(Desde 2018)

Tipos de Bares:

VejaSP:

Endereço: Rua Iguatemi - Itaim Bibi - São Paulo - SP ver no mapa

Telefone: (11) 35673686

Site: https://www.forfebar.com.br/

Horário:

segunda-feira 12:00 - 15:00

terça-feira 12:00 - 15:00

quarta-feira 12:00 - 15:00 - 18:00 - 00:00

quinta-feira 12:00 - 15:00 - 18:00 - 00:00

sexta-feira 12:00 - 15:00 - 18:00 - 00:00

sábado 18:00 - 00:00

domingo - Fechado

Estabelecimento fechado

Informações adicionais: Lugares/Capacidade total (55)

Resenha por Saulo Yassuda

O Forfé brotou em julho numa vizinhança repleta de endereços para a happy hour. À primeira olhada, o lugar montado pelos empresários Renato e Rosangela Calixto e pelo trio de sócios do Guilhotina, em Pinheiros, não se diferencia tanto assim dos bares do bairro. É um local aonde ir para tomar um chope (Heineken, R$ 7,90), assistir a uma partida na TV e curtir DJs de música eletrônica, além de samba-rock e bandas de pop rock ao vivo de quinta a sábado. Mas, mesmo com a concorrência, o bar se destaca ao dar um passo além do basicão. Pelo salão com algum toque nostálgico circula um ótimo bolinho de arroz arbóreo (R$ 20,00, cinco unidades), que recebe bom tratamento. Cremoso, leva um mix de arroz arbóreo com agulha mais linguiça, além da cobertura de aïoli. O mesmo cereal surge em uma pedida mais substanciosa, o arroz úmido com pedacinhos de quiabo, coração de frango e a sobrecoxa da ave grelhada por cima (R$ 44,00). O caldo de feijão-preto (R$ 26,00) mostra-se saboroso e encorpado, ainda que alguns torresmos venham duros além da conta. Da carta de drinques criada pelo fera Márcio Silva, há coquetéis tão simples quanto bons, como o de cachaça, agrião e mel (R$ 27,00).

Informações checadas em setembro de 2018.

    O Forfé brotou em julho numa vizinhança repleta de endereços para a happy hour. À primeira olhada, o lugar montado pelos empresários Renato e Rosangela Calixto e pelo trio de sócios do Guilhotina, em Pinheiros, não se diferencia tanto assim dos bares do bairro. É um local aonde ir para tomar um chope (Heineken, R$ 7,90), assistir a uma partida na TV e curtir DJs de música eletrônica, além de samba-rock e bandas de pop rock ao vivo de quinta a sábado. Mas, mesmo com a concorrência, o bar se destaca ao dar um passo além do basicão. Pelo salão com algum toque nostálgico circula um ótimo bolinho de arroz arbóreo (R$ 20,00, cinco unidades), que recebe bom tratamento. Cremoso, leva um mix de arroz arbóreo com agulha mais linguiça, além da cobertura de aïoli. O mesmo cereal surge em uma pedida mais substanciosa, o arroz úmido com pedacinhos de quiabo, coração de frango e a sobrecoxa da ave grelhada por cima (R$ 44,00). O caldo de feijão-preto (R$ 26,00) mostra-se saboroso e encorpado, ainda que alguns torresmos venham duros além da conta. Da carta de drinques criada pelo fera Márcio Silva, há coquetéis tão simples quanto bons, como o de cachaça, agrião e mel (R$ 27,00).

    Informações checadas em setembro de 2018.