Acrópolis (Desde 1959)

Tipos de Restaurantes: Gregos
VejaSP
starsstarsstarsstarsstars
Endereço: Rua da Graça, 364 - Bom Retiro - São Paulo - SP ver no mapa
Telefone: (11) 32234386
Horário:
segunda-feira
12:00 - 20:00
terça-feira
12:00 - 20:00
quarta-feira
12:00 - 20:00
quinta-feira
12:00 - 20:00
sexta-feira
12:00 - 20:00
sábado
12:00 - 20:00
domingo
12:00 - 20:00
monetization_on

Faixa de preço

De R$116,00 a R$175,00

check_circle

Informações adicionais

Acesso para deficientes, Lugares/Capacidade total (72 lugares), Levar vinhos (permite) (R$ 20,00)

Resenha por Arnaldo Lorençato e Saulo Yassuda

Faz parte da paisagem do Bom Retiro o restaurante grego mais antigo da cidade. Claro, o lugar perdeu parte do charme desde a morte de seu antigo proprietário, Thrassyvoulos Georgios Petrakis (1918-2016), o seu Trasso — hoje, é tocado pelas filhas dele. Mas continua uma delícia ir até a cozinha aberta, onde panelões de comida repousam sobre o fogão, e escolher entre a mussaká (berinjela, batata e carne moída coberta com uma camada imensa de molho bechamel como não se encontra na Grécia; R$ 34,00), o carneiro ao molho do assado com batata e arroz (R$ 48,00) e o saboroso polvo meio molengão do cozimento com “risoto” de camarão (R$ 78,00). Feitos na casa, há bons doces: bolo de nozes e semolina (R$ 9,00) e folhado com creme de semolina (R$ 9,00). A entrada pode ser com a porção mista de tzatziki (pepino na coalhada seca), pasta de batata ao alho, berinjela com maionese e vinagrete de polvo, cebolinha ou azeite). Custa R$ 40,00 ou R$ 60,00.

Informações checadas entre agosto e outubro de 2019.

    Comer e beber

    • 2019 - Indicado

      Grego Comer & Beber .

      Faz parte da paisagem do Bom Retiro o restaurante grego mais antigo da cidade. Claro, o lugar perdeu parte do charme desde a morte de seu antigo proprietário, Thrassyvoulos Georgios Petrakis (1918-2016), o seu Trasso — hoje, é tocado pelas filhas dele. Mas continua uma delícia ir até a cozinha aberta, onde panelões de comida repousam sobre o fogão, e escolher entre a mussaká (berinjela, batata e carne moída coberta com uma camada imensa de molho bechamel como não se encontra na Grécia; R$ 34,00), o carneiro ao molho do assado com batata e arroz (R$ 48,00) e o saboroso polvo meio molengão do cozimento com “risoto” de camarão (R$ 78,00). Feitos na casa, há bons doces: bolo de nozes e semolina (R$ 9,00) e folhado com creme de semolina (R$ 9,00). A entrada pode ser com a porção mista de tzatziki (pepino na coalhada seca), pasta de batata ao alho, berinjela com maionese e vinagrete de polvo, cebolinha ou azeite). Custa R$ 40,00 ou R$ 60,00.

      Arnaldo Lorençato e Saulo Yassuda

    • 2018 - Participante

      Gregos Comer & Beber .

      Nos fins de semana e feriados, costuma haver uma pequena fila em frente ao salão com jeito de boteco antigo — ainda assim, pode ser que você ligue e lhe digam que não há espera. Tudo bem, a espera costuma ser curta, e pode ser amenizada com uma cerveja na calçada. Para começar, merece ser saboreada a porção mista de aperitivos (R$ 60,00), com polvo macio ao vinagrete, pasta de berinjela e purê de batata temperado com bastante alho, azeitona e pepino salgado na coalhada. Os pratos devem ser escolhidos através de uma abertura na cozinha, onde um funcionário nem sempre bem humorado explica o que há disponível. A clássica mussaká (R$ 32,00) tem uma versão vegetariana nos fins de semana, de berinjela com espinafre e ricota (R$ 32,00). Bem macio, o carneiro assado ao molho pode ganhar a companhia de arroz úmido com frutos do mar (R$ 52,00). (Informações checadas entre julho e setembro de 2018).

      Arnaldo Lorençato, Helena Galante e Saulo Yassuda

    • 2017 - Participante

      Restaurantes gregos Comer & Beber .

      Desde o ano passado, a carismática figura do proprietário, seu Trasso (ou Thrassyvoulos Georgios Petrakis, 1918-2016), faz falta no restaurante. Mas os fãs da culinária grega continuam a aparecer na casa, completamente reformada neste ano, para provar entradinhas saborosas, como polvo ao vinagrete (R$ 45,00) e tzatziki (pepino na coalhada, R$ 20,00). A tradição de espiar a cozinha e escolher o que vai comer diretamente das travessas também permanece. São receitas quentes como a mussaká (fatias de berinjela e batata entremeadas de carne moída e cobertas de molho bechamel; R$ 32,00). (Preços checados em setembro de 2017.)

      Arnaldo Lorençato, Helena Galante e Saulo Yassuda

    • 2015 - Participante

      Restaurantes gregos Comer & Beber .

      Enquanto restaurantes de cozinha grega não costumam ter vida longa na capital, esta casa cinquentona permanece firme no Bom Retiro. No salão que lembra mais um boteco tocado pessoalmente pelo proprietário Thrassyvoulos Georgios Petrakis, seu Trasso, de 97 anos, o cliente segue até a porta da cozinha para escolher, diretamente das panelas e assadeiras, o que vai querer comer. O prato misto (R$ 62,00) inclui polvo cozido com gostinho de cravo-da-índia, lula recheada de arroz e risoto molinho de frutos do mar. Outra opção apetitosa é a clássica mussaká (fatias de berinjela intercaladas com batata e carne moída; R$ 32,00), que de vez em quando chega morna. Antes, não deixe passar as saborosas entradas armazenadas na geladeira, que podem ser o agradável purê de batata e alho (R$ 15,00) e o polvo ao vinagrete com bastante azeite (R$ 38,00), ambas para beliscar com pãozinho. Também abre o apetite a salada típica (R$ 24,00 a meia-porção), bem simplona, de folhas, azeitona, pepino, tomate, cebola e queijo de cabra, tudo misturado na frente dos clientes pela garçonete. (Preços checados em setembro/outubro de 2015).

      Arnaldo Lorençato e Helena Galante

    • 2014 - Participante

      Restaurantes gregos Comer & Beber .

      Quem já foi ao restaurante do simpático Seu Trasso (ou Thrassyvoulos Georgios Petrakis, como preferir) reserva um lugar especial na memória afetiva para esse salão tão simples quanto o de um botequim. E quem não conhece deveria. O que faz a casa ser querida não é o requinte das receitas. Todas elas estão prontas na cozinha, são escolhidas pelos clientes direto do aparador, visível através de uma parede vazada, e reaquecidas antes de vir à mesa. Aqui contam a qualidade dos ingredientes e a experiência de imersão na cultura grega. Onde mais o garçom despejaria rios de azeite sobre a salada de polvo (R$ 38,00) ou a coalhada com pepino (R$ 30,00) sem nem perguntar ao cliente se ele deseja o tempero? Em tempo: caso perguntem, diga “sim”, o azeite oferecido é uma delícia. Para o prato principal, há mussaká (berinjela intercalada com batata e carne moída; R$ 32,00) e cordeiro ao forno com batata e arroz (R$ 36,00). (Preços checados em setembro/outubro de 2014).

      Arnaldo Lorençato e Helena Galante

    • 2013 - Participante

      Restaurantes gregos Comer & Beber .

      Visto de fora, o estabelecimento do Seu Trasso, o dono do quase impronunciável nome Thrassyvoulos Georgios Petrakis, parece uma lanchonete ou bar de bairro. Não se engane. Trata-se de um restaurante onde o funcionamento e o cardápio pitoresco importaram mais que a comida para fazer a fama do lugar. O cliente escolhe o que comer olhando as travessas direto na cozinha. Depois, as porções individuais de carneiro ao forno (R$ 36,00), mussaká (tipo de lasanha de berinjela, batata e carne moída; R$ 32,00) e polvo ao vinho (R$ 60,00) são reaquecidas e levadas à mesa. Antes, entradinhas como a coalhada acrescida de pepino (R$ 12,00) ficam guardadas num refrigerador. Uma generosa dose de azeite servida pelos atendentes traz mais vida à comida. (Preços checados em setembro/outubro de 2013).

      Arnaldo Lorençato e Helena Galante

    • 2012 - Participante

      Restaurantes gregos Comer & Beber .

      É o próprio dono, Thrassyvoulos Georgios Petrakis, o “Seu Trasso”, e não um garçom, que costuma vir à mesa temperar com um verdadeiro rio de azeite o aperitivo de salada de polvo combinada a patê de batata e alho, pepino na coalhada e babaganuche. Depois, os pratos principais devem ser escolhidos direto na cozinha. São boas pedidas o misto de frutos do mar, que inclui lula recheada, polvo ao vinho, camarão e risoto. Acompanhada de arroz, a vitela assada. Caso seja a primeira visita, não deixe de provar a mussaká, feita de berinjela, batata e carne moída intercaladas como em uma lasanha. É um clássico imperdível.

      Veja SP

    • 2011 - Participante

      Restaurantes gregos Comer & Beber .

      Estabelecimento faz parte da edição Comer & Beber 2011/2012

      Veja SP

    • 2010 - Participante

      Restaurantes gregos Comer & Beber .

      Estabelecimento faz parte da edição Comer & Beber 2010/2011

      Veja SP

    Comentários
    Deixe um comentário

    Olá,

    * A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

    Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

    Logotipo do WordPress.com

    Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

    Foto do Google

    Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

    Imagem do Twitter

    Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

    Foto do Facebook

    Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

    Conectando a %s