Continua após publicidade

Rosi Campos luta para salvar a honra da família em ‘La Mamma’

A atriz divide o tempo entre o teatro e a televisão e afirma que voltará a interpretar a bruxa Morgana no teatro

Por Bruno Machado
Atualizado em 5 dez 2016, 15h43 - Publicado em 15 ago 2013, 18h36

Foi entre livros, papéis e anotações da avó, Tônia Carrero, que o diretor Carlos Artur Thiré encontrou o que seria sua mais nova empreitada na direção, a comédia La Mamma. O espetáculo que cumpre temporada no Teatro Nair Bello é resultado da parceria entre o diretor e Leonardo Miggiorin, que desde as gravações de Insensato Coração (2011), sonhava em contracenar com Rosi Campos nos palcos. 

+ Leia mais notícias sobre teatro

Na adaptação de André Roussin para o romance de Vitaliano Brancati – que também deu origem ao longa O Belo Antônio (1960), com Marcello Mastroianni –, Rosi interpreta uma matrona italiana que vive às voltas com seus dois filhos (interpretados por Miggiorin): Aldo, um vagabundo e atrapalhado, e Antônio, cobiçado por todas as mulheres da pequena cidade de Santa Rita. Quando a honra deste último é colocada em cheque pela esposa Bárbara (Débora Gomez), a mãe arregaça as mangas e usa dos meios menos ortodoxos para salvar o nome da família. “Fugimos dos estereótipos já que o texto por si só já é muito engraçado”, explica a atriz. “Eva Wilma veio nos ver e disse que há muito ela não via uma comédia como essa”. 

 

Continua após a publicidade

Para construir a personagem da mamma italiana sem cair no exagero, Rosi não encontrou muitas dificuldades. “Todo mundo tem uma mãe, uma avó ou uma tia italiana ou portuguesa. Foi só observá-las. Com certeza as mães da plateia vão se identificar com meu papel”. Segundo ela, é uma alegria ver as relações familiares no palco. “Antigamente, íamos ao teatro para ver o trabalho de um ator, de um autor ou de um diretor. A história em si não importava muito. Felizmente, isso mudou. Hoje as pessoas se veem no palco. Existe teatro para todos os públicos”. 

Com o início da temporada de La Mamma, a atriz enfrenta agora uma dupla jornada: as apresentações do espetáculo em São Paulo, e as gravações de Joia Rara, no Rio de Janeiro. Na novela, com estreia prevista para setembro, ela toca um cabaré junto do marido (Marcos Caruso), que se revela um grande dançarino. “Somos o alívio cômico da trama”, afirma. Entre tantos trabalhos, a atriz ainda arranja tempo para planejar um novo projeto – desta vez, relacionado a um de seus personagens mais queridos do público: a bruxa Morgana do seriado infanto-juvenil Castelo Rá-Tim-Bum, exibido pela TV Cultura nos anos 90. “Sinto muito orgulho de ter participado do programa. Foi um raro encontro de talentos. Neste momento, eu estou em busca de patrocinadores para um novo espetáculo. A Morgana vai voltar para o teatro”, revela.  

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de 49,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.