Morre o ator Kito Junqueira, aos 71 anos, em Curitiba

Ator passou por novelas da Globo, Tupi, Manchete e Band, além de atuações no teatro e no cinema

Morreu na madrugada desta sexta-feira (23), aos 71 anos, o ator Kito Junqueira. Ele morava em Curitiba e os detalhes da morte e velório ainda não foram divulgadas. Informação chegou através de um amigo da família, o produtor Ricardo Peixoto.

Kito Junqueira estava em Curitiba, preparando-se para vir a São Paulo na próxima semana, quando iniciaria o ensaio da peça À Flor da Pele, de Consuelo de Castro. “Conversei com ele por telefone na noite de quinta. Pouco depois, recebi o telefone da mulher dele, Maria (Santos Pizano), desesperada, dizendo que ele tinha passado mal repentinamente. O Samu foi chamado, mas não conseguiu fazer nada”, disse Peixoto, que está à frente da nova montagem de À Flor da Pele.

Segundo Peixoto, o ator aparentava estar bem de saúde e estava animado para retornar ao teatro, onde atuaria ao lado de Natalia Rodrigues, sob a direção de Alexandre Reinecke. “Conversávamos muito sobre essa montagem e a importância da peça, que inaugurou o Teatro Paiol, em 1969.”

Nascido em 15 de maior de 1948, em São Paulo, Heráclito Gomes Pizano ou, como ficou conhecido, Kito Junqueira, atuou em várias produções da TV, cinema e teatro. Enveredou para a política em 1994, sendo eleito deputado estadual por São Paulo.

Kito começou a carreira artística em 1973, ao estrear na novela As Divinas… e Maravilhosas, na extinta TV Tupi. Lá, faria ainda Vila do Arco (1975) e Tchan, a Grande Sacada (1976). Depois, em 1977, surgiu na tela da TV Globo, integrando o elenco de novelas como Espelho Mágico (1978), mas retornou para a Tupi, em 1979, atuando na novela Como Salvar Meu Casamento. Passaria também pela TV Manchete, na novela Pantanal, em 1990. Passou ainda pela Band, em 1980, fazendo a novela Cavalo Amarelo, entre outas.

O ator deixou sua marca também no cinema, participando de filmes como Eternamente Pagu e Topografia de um Desnudo.

Já no teatro, Kito Juqueira fez vários trabalhos, sendo um dos mais importantes, a peça Bent, com a qual recebeu vários prêmios, o da APCA, o Molière e o Troféu Mambembe.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s