Clique e assine por apenas 5,90/mês

Empresa entrega flores em casa com preço de custo

Mercadão das Flores tinha inauguração prevista para 30 de março, mas precisou transformar negócio em vendas online

Por Guilherme Queiroz, Gabrielli Menezes - Atualizado em 4 abr 2020, 11h18 - Publicado em 4 abr 2020, 10h47

O empreendimento Mercadão das Flores, na Vila Leopoldina, tinha estreia prevista para o dia 30 de março, a última segunda-feira. O local contaria com 350 lojistas com os mais variados itens de floricultura: plantas, objetos de decoração, sementes, vasos. Com a pandemia da Covid-19, no entanto, os planos para o galpão de 21 000 metros quadrados foram adiados por hora. Mas o que fazer com todo o estoque dos produtores que esperavam vender seus itens no espaço? “Em menos de dez dias abrimos um e-commerce”, conta Luciana Zappala, diretora de marketing do local.

“Não era nossa intenção [vendas digitais], mas foi a forma que a gente achou de ajudar essas empresa e não desperdiçar essas flores”, diz Luciana. Ela afirma que os itens são vendidos no site com preço de custo, mais uma taxa pelo frete, que pode ser zerada caso o comprador opte por retirar o item no endereço. A entrega não leva o produto para toda a capital, existe uma área limite.

Assine a Vejinha por 14,90 mensais.

 

Ao final da primeira semana de vendas no site, o número de pedidos chegou a 10 000. O servidor chegou a travar. “Não esperávamos essa demanda. Em quatro horas foram 1 200 pedidos” afirma. O sucesso das vendas foi comemorado por gerar renda. “Temos muitos fornecedores que são famílias de produtores que dependem disso para comer.”

O portfólio do e-commerce é amplo. Flores de corte como astromélias, por exemplo, são vendidas por 10 reais o maço, que vem com dez hastes. Vasos com orquídeas e azaleias vão de 10 a 20 reais. Suculentas também estão disponíveis por 15 reais.

+ OUÇA O PODCAST Cozinha do Lorençato

Continua após a publicidade
Publicidade