Continua após publicidade

Santander apoia empresário no desenvolvimento do negócio de fungicultura

Banco oferece ferramentas para o crescimento da produção de cogumelos, segmento que está entre os mais sustentáveis

Por Abril Branded Content
Atualizado em 23 dez 2022, 16h23 - Publicado em 23 dez 2022, 16h21

Bagaço de cana-de-açúcar ou malte de cevada, casca de arroz, serragem. Resíduos industriais ou de produções agrícolas que vão naturalmente para descarte servem de substrato alternativo para o cultivo de cogumelos. A possibilidade de rentabilidade do negócio e as características da atividade, um dos tipos de produção com menor impacto ambiental, incentivaram o empresário Gildo Takeo Saito a substituir o cultivo de hortaliças pela fungicultura, no Sítio Saito, propriedade de sua família, de origem japonesa, no bairro de Aroeiras, em Mogi das Cruzes, região metropolitana de São Paulo.

“Meu avô veio para o Brasil de navio, em 1929, inicialmente para trabalhar na lavoura de café. Depois se estabeleceu em Mogi, onde deu início à horticultura”, conta o empresário.

Foi lá que a família Saito iniciou a produção de hortaliças, em 1972.

Mas como a atividade depende do clima para se manter, com influência direta no preço do produto, Saito viu, com o passar do tempo, que a cultura não se mostrava rentável. Foi, então, que ele enxergou no cultivo de cogumelos uma oportunidade. Em 1992, após muitos estudos, optou por plantar champignon de Paris, o cogumelo mais consumido no Brasil, para manter os custos de sua propriedade.

Continua após a publicidade

“A matéria-prima é o insumo descartado. A palha, os bagaços da cana-de-açúcar, tudo é transformado em composto. Além de ser sustentável, o cultivo não exige grandes áreas. Pode ser feito verticalmente, em prateleiras”, explica.

A tecnologia na produção foi fundamental para o início do cultivo. Com ajuda do Santander, o produtor teve acesso às linhas de crédito e elaborou uma logística de venda. Saito diz estar satisfeito com o atendimento das equipes do Santander, que apresentam cada vez mais produtos e serviços adequados às necessidades de cada negócio.

“Os gerentes fazem um serviço personalizado, com pessoas capacitadas, que se importam com o homem do campo, indo até a roça para entender qual é a necessidade de cada produtor”, elogia Saito, cliente do banco desde 1989.

Continua após a publicidade

Sete anos depois, Saito observou que havia uma popularização excessiva dos cogumelos champignon, que sofrem com o mercado competitivo chinês. Boa parte do que é consumido no Brasil vem importada da China, na forma de conserva. Naquele momento, ele resolveu substituir a produção de cogumelos Paris pelo shimeji. Toda a estrutura do champignon foi aproveitada.

“Temos um longo trabalho de valorização do consumo do produto in natura, fresco e sem conservantes. O incentivo a esse tipo de consumo valoriza o fungicultor brasileiro”, detalha.

O trabalho de orientação realizado pelo Santander com empresários da produção de cogumelos em condições controladas no Brasil vem trazendo resultados relevantes, principalmente em São Paulo, maior produtor de cogumelos do país. Ao oferecer ferramentas para o crescimento sustentável, o Santander estimula processos melhores e mais rentabilidade.

Continua após a publicidade

 

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de 49,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.