Clique e assine por apenas 5,90/mês

Sem eventos, bufês entregam comidas do dia a dia e menus especiais

Crise é ainda mais severa no setor que tem por princípio a reunião de pessoas

Por Gabrielli Menezes - Atualizado em 22 Maio 2020, 17h29 - Publicado em 22 Maio 2020, 06h00

Até quando será necessário manter o isolamento social? A pergunta, que passa pela cabeça de muita gente, bate ainda mais forte no setor de eventos, que tem por princípio a reunião de pessoas, seja de uma família, seja de uma multidão.

“Posso estar errado, mas acredito que só vamos poder voltar depois do desenvolvimento da vacina”, arrisca Christian Formon. À frente do bufê com seu nome desde 1996, o chef francês, assim como outros empresários da área, colocou parte da equipe de férias, suspendeu o contrato de alguns funcionários e encorpou o serviço de entrega de refeições. Tudo para tentar driblar os efeitos já severos da restrição.

Cerca de 80% das empresas mandaram todo mundo embora. Elas continuam abertas, mas se resumem a um telefone e ao patrimônio que está no galpão

Ricardo Dias

Rita Atrib, que, no comando da Petit Comité, costumava fazer quase cinquenta serviços de catering por mês, viu o faturamento cair 60% com o cancelamento ou adiamento de trabalhos como o show do Kiss, que aconteceria em maio, e o festival Lollapalooza, que seria em abril. “Não é horrível. Ainda consigo manter a rotisseria, em Moema, com delivery e retiradas. Mas muitos vão tombar. Por trás de cada evento, há gente especializada em louça, decoração, flores e os próprios garçons, que muitas vezes são freelancers”, preocupa-se Rita.

Rita Atrib: faturamento caiu em 60%

Assim como ela, o banqueteiro Viko Tangoda, da Viko Gastronomia, voltou seus esforços para a loja que mantém na Chácara Inglesa, a São Galdinho Deli Gourmet, onde passou a oferecer marmitas em estilo caseiro. “Estamos buscando possibilidades e cotando eventos corporativos virtuais. Deixamos um kit na casa de várias pessoas e elas combinam de abrir no mesmo horário da videochamada”, explica Tangoda.

Com trinta anos de experiência no mercado, o Buffet Charlô riscou do calendário pelo menos cinquenta festas. A alternativa, pensada com rapidez, foi lançar o e-commerce Charlô em Casa, que leva especialidades congeladas a clientes da capital e de condomínios de luxo no litoral e no interior. “São trezentos pedidos por semana”, diz o sócio Charlô Whately.

Ainda que alguns bufês tenham encontrado soluções para esse primeiro momento, o desafio de se manter no negócio no longo prazo é gigante. “Cerca de 80% das empresas mandaram todo mundo embora. Elas continuam abertas, mas se resumem a um telefone e ao patrimônio que está no galpão”, explica Ricardo Dias, presidente da Associação Brasileira de Eventos (Abrafesta), que encaminhou ao governo um projeto de boas práticas para um futuro no qual as comemorações talvez necessitem de máscaras, luvas e controle de temperatura da brigada e dos convidados.

Assine a Vejinha a partir de 6,90 mensais

PEÇA EM CASA

 

Continua após a publicidade

Buffet Christian Formon
Boeuf bourguignon (R$ 190,00 o quilo), coq au vin (R$ 150,00 o quilo) e outros pratos da cozinha francesa são encontrados no site buffetchristianformon.com.br/loja ou pelo WhatsApp (tel. 95769-7969).

Buffet Rinzler
A empresa faz menus para datas comemorativas, entrega receitas congeladas como picadinho (R$ 55,00) e nhoque de funghi (R$ 80,00 para dois) e lançará delivery de pratos frescos. Contato por WhatsApp (tel. 99839-5382).

Charlô em Casa
No site charloemcasa.com.br, há de porção de dadinho de tapioca (R$ 60,00) a salmão em crosta de pistache (R$ 140,00, 400 gramas), tudo congelado.

Ghee Banqueteria
O delivery (ghee.com.br/delivery) inclui massas frescas como o ravióli de abóbora ao pesto (R$ 65,00, para dois) e kits de festas para até seis pessoas (a partir de R$ 480,00). Pedidos também por WhatsApp (tel. 99925-7045).

Petit Comité
Encomendas de especialidades como o beef wellington, filé-mignon envolto em pasta de cogumelos, presunto cru e massa folhada (R$ 188,00 o quilo), são entregues ou podem ser retiradas na loja, em Moema (Whats­App tel. 95477-3233).

São Galdinho Deli Gourmet
A rotisseria de Viko Tangoda passou a oferecer marmitinhas de pratos caseiros por R$ 19,90. O bobó de frango com arroz e farofa de dendê está entre as opções. Contato por WhatsApp (tel. 97475-8881).

Vivi Barros Boutique Gourmet
Além de se dedicar à entrega de marmitas solidárias, o bufê serve pratos como queijo brie folhado com geleia de pimenta (R$ 200,00). Encomendas via e-mail (contato­@buffetvivibarros.com.br) e Whats­App (tel. 94531-5026).

Assine a Vejinha a partir de 6,90 mensais

Continua após a publicidade
Publicidade