Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Coronavírus: iFood antecipa repasse de 2,5 bilhões a bares e restaurantes

Plataforma de delivery se juntou a Itaú e Rede para amenizar os efeitos da crise causada pela pandemia no segmento da gastronomia

Por Redação VEJA São Paulo 6 abr 2020, 17h53

O iFood vai antecipar o repasse das vendas de bares e restaurantes feitas pelo aplicativo. A intenção é atenuar os efeitos da queda no faturamento causado pela pandemia da Covid-19. A inciativa, uma parceria com Itaú e Rede (antiga Redecard), vai envolver 2,5 bilhões de reais.

A promessa é que as vendas realizadas até maio sejam pagas em, no máximo, sete dias aos estabelecimentos que estão há mais de um mês na plataforma — o comum é que o repasse aconteça em até trinta dias. Os empresários devem fazer o pedido formal da antecipação pelo Portal do Parceiro, do iFood.

O aplicativo de entregas de comida anunciou ainda que irá destinar 50 milhões de reais de sua receita a um fundo de assistência a restaurantes, sobretudo os de pequeno porte. Outra iniciativa, informa a marca, é destinar 2 milhões de reais a fundos solidários para dar suporte aos entregadores: metade a colaboradores com sintomas ou diagnosticados com a Covid-19 e outra metade para a proteção de parceiros com mais de 60 anos ou que façam parte do grupo de risco.

 

Continua após a publicidade
Publicidade