Imagem Blog

Tudo Sobre Cinema

Continua após publicidade

A posição da Netflix sobre suspensão de Mignonnes pedida pelo governo federal

A ministra Damares Alves quer a Netflix retire o filme do streaming por ver "crianças em conteúdo pornográfico"

Por Miguel Barbieri Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 23 set 2020, 15h35 - Publicado em 23 set 2020, 15h09

A ministra Damares Alves que, em sua bio no Twitter, é mãe, pastora evangélica, educadora e advogada e, atualmente, ocupa o cargo de Ministra de Estado da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, entrou numa “guerra” contra a Nefflix. Tudo por causa do filme Mignonnes (ou Lindinhas, como alguns estão chamando), que trata de uma menina de origem muçulmana que, para ser aceita entre as alunas descoladas de um colégio na periferia de Paris, entra para um grupo de dança.

Já comentei sobre o filme (leia aqui) e não vi nada de pornográfico ou de hipersexualização de crianças. Só que a ministra Damares viu e escreveu em sua conta no Twitter: “Chega de erotizar nossas crianças. Chega de conteúdos que incentivam (ainda que sem intenção) pedófilos a praticarem seus atos libidinosos na vida real contra crianças”.

Ou seja: a ministra, na minha opinião, está vendo algo que nem mesmo a diretora do filme, Maïmouna Doucouré, de origem africana, pensou em fazer: incentivar a pedofilia ou dar closes na genitália das meninas para provocar erotização.

Damares está tão enfurecida com o filme que, por meio do governo federal, pede a suspensão de Mignonnes da Netflix por “envolver crianças em conteúdo pornográfico”.

Continua após a publicidade

Pedir “a suspensão” significa censura. Caso estivesse num horário nobre da TV aberta, ainda assim seria censura. O filme, porém, tem classificação indicativa de 16 anos e está numa plataforma de assinatura, ou seja, assina quem quiser e assiste quem quiser. E, deixo bem claro, NÃO é um filme para menores de 16 anos MESMO.

A Netflix mandou sua resposta, aliás, muito sensata. “Mignonnes é um comentário social contra a sexualização de crianças. É um filme premiado e uma história poderosa sobre a pressão que jovens meninas enfrentam nas redes sociais e também da sociedade. Nós encorajaríamos qualquer pessoa que se preocupa com essas questões importantes a assistir ao filme”. Concordo!

 

 

 

 

 

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.