Imagem Blog

Pop! Pop! Pop!

Por Blog
Cultura pop, TV e o que repercute nas redes sociais
Continua após publicidade

Simone, da dupla com Simaria, comenta papel higiênico preto

"Como é que a gente vai fazer agora, me diz?", disse a cantora sertaneja em atualização no Instagram Stories na tarde desta segunda (23)

Por Redação VEJA São Paulo Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 24 out 2017, 13h45 - Publicado em 24 out 2017, 13h05

Na tarde desta segunda (23), um comercial inusitado estrelado por Marina Ruy Barbosa chamou atenção e provocou polêmica nas redes sociais. Trata-se da campanha para o lançamento de um papel higiênico preto, item considerado de luxo e que está dando o que falar na internet — clique aqui para saber mais. No Instagram, Simone, da dupla com Simaria, resolveu dar sua opinião sobre a novidade.

Gente, vocês viram aí? Eu coloquei a foto, mas não dá para ver direito. Agora vai ser o primeiro papel higiênico preto do Brasil. Como é que a gente vai fazer agora, me diz? Por exemplo, o branquinho, se a gente limpa o bumbum, a gente vê se está limpo ou se está sujo. Apesar que dar uma lavadinha depois é ótimo, deixa tudo novinho. Mas e a mulher que também está no vermelhinho, como sabe? Estou um pouco confusa com essas coisas“, comentou a cantora sertaneja.

Nesta segunda (23), o papel higiênico “VIP” provocou polêmica nas redes sociais. O motivo? Sua campanha de marketing, que foi acusada de racista ao usar a expressão “Black Is Beautiful” para promover o lançamento na internet. A frase é muito conhecida e é uma das expressões mais impactantes da história do movimento negro — segundo o Catraca Livre, a expressão surgiu na década de 1960, nos Estados Unidos.

O jargão também exalta a beleza e a natureza negra, que era considerada vulgar e feia. O uso distorcido da frase chamou atenção na internet, onde foi duramente criticada por internautas: “Se você digitar ‘black is beautiful’ em qualquer lugar do mundo, você encontrará referências a Angela Davis, Malcolm X, O Partido Panteras Negras para Autodefesa, Fela Kuti, James Baldwin, Nina Simone, mas não no Brasil“, criticou o escritor Anderson França. Confira: 

Continua após a publicidade

Dê sua opinião: E você, o que achou do comentário de Simone? Deixe seu comentário e aproveite para curtir nossa página no Facebook!

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.