Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Na Plateia Indicações do que assistir no teatro (musicais, comédia, dança etc.)

Cassio Scapin é Odorico Paraguaçu em versão musicada de ‘O Bem Amado’

Montagem de Ricardo Grasson estreia nesta sexta (5) e tem canções de Zeca Baleiro

Por Júlia Rodrigues Atualizado em 5 ago 2022, 07h12 - Publicado em 5 ago 2022, 06h00

Desde que foi escrita, há seis décadas, a peça Odorico, o Bem Amado ou Os Mistérios do Amor e da Morte, ou simplesmente O Bem Amado, de Dias Gomes (1922-1999), continua refletindo um Brasil atual.

Esse foi um dos pensamentos do diretor Ricardo Grasson ao escutar o ator Cassio Scapin — com quem mantém uma amizade de anos — dizer em uma entrevista que gostaria de interpretar Odorico Paraguaçu, o protagonista da trama. “Liguei para ele e perguntei se topava montar comigo, se eu já podia ir ‘mexendo os pauzinhos’. Cassio disse que, já que eu ia fazer de qualquer jeito, tudo bem”, conta Grasson.

+ ‘Nzinga’ revisita realeza africana no Sesc Pompeia

O segundo pensamento do encenador foi o de que o espetáculo deveria ser musicado. Então, convidou o músico Zeca Baleiro e o dramaturgo Newton Moreno para a composição de canções. “É um texto muito popular, palatável. Talvez se o Dias Gomes estivesse vivo hoje, também teria tido a ideia de transformá-lo em um musical”, acredita o diretor.

A comédia se passa na pequena Sucupira, no litoral da Bahia. Não há cemitério, o que obriga os moradores a enterrar os mortos em municípios vizinhos. Daí surge Odorico Paraguaçu (Scapin), político corrupto que se elege prefeito com a promessa de construir o cemitério.

+ Vida cotidiana do Bexiga é tema de nova peça do Teatro do Incêndio

Tempos após a posse, porém, ninguém morre, e o político decide trazer de volta à cidade o pistoleiro Zeca Diabo (Marco França) para resolver o “problema”. O que ele não esperava era que o matador tivesse “se aposentado” para ser um homem correto.

Continua após a publicidade

“Sucupira ainda é um retrato do Brasil. Vemos no odorico um comportamento político reincidente, de um estado autocrata, autoritário, acima de qualquer preceito ético”, analisa Scapin.

Grasson, que também é formado em cinema, optou por inserir contornos de realismo fantástico na montagem. A estreia acontece nesta sexta (5). 12 anos. (100min).

Sesc Santana. Avenida Luiz Dumont Villares, 579, Santana, ☎ 2971-8700. Sex., 21h (haverá sessão extra às 15h nos dias 2 e 9/9). Sáb., 20h. Dom., 18h. R$ 40,00. Até 11/9. sesc.org.br.

+Assine a Vejinha a partir de 9,90. 

Publicado em VEJA São Paulo de 10 de agosto de 2022, edição nº 2801

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Para entender e curtir o melhor de SP, Veja São Paulo. Assine e continue lendo.

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)

Impressa + Digital

Plano completo da VejaSP! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

Receba semanalmente VejaSP impressa mais acesso imediato às edições digitais no App Veja, para celular e tablet.

a partir de R$ 19,90/mês