Imagem Blog

Memória

Por Blog Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Uma viagem no tempo às décadas passadas por meio de suas histórias, costumes e curiosidades.
Continua após publicidade

Onde andam estas Sex-Symbols dos anos 70 e 80? – parte 2

As grandes musas das pornochanchadas

Por Roosevelt Garcia Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
16 jul 2017, 18h30

Na primeira parte deste post, que você pode ler aqui, relembramos algumas das mais desejadas sex-symbols dos anos 70 aos 90, e por onde elas andam hoje em dia. Nesta segunda parte, vamos recordar mais algumas dessas eternas musas, a maioria delas atrizes dos clássicos da pornochanchada.

Apesar da conotação “pornochanchada”, esses filmes não têm nada de pornográficos. Era um estilo de filmes predominante no cinema nacional nos anos 70 e 80, e de onde saíram diversos nomes que se tornariam conhecidos na televisão nos anos seguintes. Invariavelmente com alguma nudez, às vezes até mais ousada, os filmes puxavam para o lado da comédia, daí o sufixo “chanchada”. Muitas das atrizes desses filmes se tornaram sex-symbols daquela época, e até hoje são lembradas com carinho por quem viveu aqueles anos.

 

• Zilda Mayo
Começou fazendo figuração em um filme produzido por Silvio Santos, e logo foi ser telemoça do programa dele. A partir de 1976, fez mais de 40 pornochanchadas, até 1988. Foi capa de diversas revistas masculinas e considerada a mulher mais gostosa do cinema nos anos 80. Hoje em dia é atriz de teatro, e por algum tempo fez um stand up comedy com histórias da Boca do Lixo.

(Reprodução)

 

• Nídia de Paula
Atriz e modelo dos primeiros anos da pornochanchada, ela fez mais de 15 filmes, e foi capa de diversas revistas masculinas da época. Abandonou a carreira em 1980 e hoje é corretora de imóveis.

(Reprodução)

 

 

• Sandra Barsotti
A linda menina de olhos grandes e verdes estreou no cinema em 1971, e durante aquela década consagrou-se como atriz de pornochanchadas e também como protagonista de novelas da Globo. Esteve em O Casarão e Pecado Capital, e continuou a fazer novelas nos anos 80.

(Reprodução)

 

 

• Zaira Bueno
Gaúcha de Porto Alegre, ela também estrela dos filmes da Boca do Lixo nos anos 70 e 80, e foi capa da Playboy em 83. Fez também trabalhos no teatro e na televisão. Hoje em dia, mora nos Estados Unidos, onde tem um Spa.

Continua após a publicidade
(Reprodução)

 

 

• Nicole Puzzi
Estrela das pornochanchadas nos anos 70 e 80, seguiu carreira de atriz e fez algumas novelas entre Globo, Bandeirantes, Manchete, Record e SBT. Ainda hoje é ligada de certa forma aos anos dourados da Boca do Lixo: escreveu um livro sobre o assunto e apresenta o programa Pornolândia, no Canal Brasil. Ela é vegetariana e defensora dos direitos dos animais.

(Reprodução)

 

 

• Monique Lafond
Estreou no cinema em 1968, aos 14 anos, e em 73 na televisão, na novela Os Ossos do Barão, da Globo, onde fez diversas novelas até recentemente. Foi uma das musas do cineasta Walter Hugo Khouri, com que fez 4 filmes. Posou para a revista Ele Ela em 1974 e 1975 e foi capa da Playboy em 1981. Hoje em dia, além de atuar esporadicamente na TV, dá aulas de teatro e dirige peças.

(Reprodução)

 

 

• Angelina Muniz
Grande símbolo sexual dos anos 80, esteve na capa da Playboy por 3 vezes naquela década. Fez alguns filmes da era de ouro das pornochanchadas e faz novelas desde 1978 até os dias de hoje. Ela também teve uma curta carreira de cantora, e tem um disco gravado em 1984.

(Reprodução)

 

 

• Adele Fátima
A ex-mulata do Sargentelli fez algumas pornochanchadas nos anos 70 e 80 e até participou do filme 007 Contra o Foguete da Morte, com Roger Moore, mas suas cenas foram cortadas da edição final. Continuou fazendo cinema nos anos 90 e também alguns papéis na TV. Hoje ela é ambientalista.

(Reprodução)

 

 

• Selma Egrei
Atriz requisitada do cinema nacional, antes, durante e depois das pornochanchadas. Também atua na televisão desde 1970, em diversas novelas e especiais em praticamente todas as emissoras. Atualmente se dedica ao teatro.

Continua após a publicidade
(Reprodução)

 

 

• Noelle Pine
Uma das maiores musas da Boca do Lixo, Noelle fez 15 filmes entre 1976 e 1985. Teve também uma carreira de atriz e TV e cinema na Espanha. Hoje, é escritora e também fotógrafa. Lançou o livro Luz, Cama, Ação, onde conta os bastidores de sua época nas pornochanchadas.

(Reprodução)

 

 

 

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de 49,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.