Imagem Blog

Vinho e Algo Mais

Por Por Marcelo Copello Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Especialista na bebida, Marcelo Copello foi colunista de Veja Rio. Sua longa trajetória como escritor do tema inclui publicações como a extinta Gazeta Mercantil e livros, entre eles "Vinho e Algo Mais" e "Os Sabores do Douro e do Minho", pelo qual concorreu ao prêmio Jabuti
Continua após publicidade

Syrah: por que a uva é versátil e rende bons vinhos no Brasil

Vinhedos dessa casta aumentaram nas regiões Sudeste e Centro-Oeste do país

Por Marcelo Copello
24 Maio 2024, 09h30

A syrah vem chamando mais e mais a atenção do consumidor brasileiro. Um dos principais motivos é o aumento dos vinhedos desta casta nas regiões sudeste e Centro-Oeste do Brasil. Os chamados “vinhos de inverno” utilizam a técnica da dupla-poda para retardar a colheita, que normalmente seria no final do verão (que na maior parte do país é quente e chuvoso), para o inverno, mais fresco e seco. A casta que melhor se adaptou a esta técnica é a syrah, que confirma a versatilidade da uva, adaptada mais facilmente a climas e solos variados.

O berço da syrah é o norte do vale do Rhône, na França, onde gera alguns dos maiores vinhos do mundo, como o Hermitage, CôteRôtie e Cornas, de estilo austero, complexo e elegante, com aromas apimentados e terrosos. Uma curiosidade: nos Côte-Rôtie é permitido e usual o acréscimo de um pequeno percentual (geralmente abaixo dos 5%) da uva branca viognier, que empresta frescor e notas florais à syrah.

Na parte sul do Rhône, a syrah não é a protagonista, mas sim uma coadjuvante que aparece muito em cortes ao lado da grenache e outras uvas locais, em vinhos como o Châteauneuf-duPape.

A segunda maior referência mundial na casta é a Austrália, principalmente no vale de Barossa, onde os grandes shiraz (grafia local da syrah) normalmente são opulentos, gordos, frutados e amadeirados. Nos vinhos de invernos brasileiros, a syrah ganha um estilo no meio do caminho entre Rhône e Austrália. Normalmente, expressa aromas terrosos, paladar encorpado, alcoólico e de acidez alta, usualmente com bastante madeira e potencial de guarda.

Os vinhos syrah variam de acordo com o terroir e as técnicas de vinificação, resultando em uma ampla gama de estilos. Esta é, sem dúvida, uma uva que prefere climas quentes, mas adapta-se muito bem a climas mais frescos, com vários ótimos syrah “de frio”.

Talvez o melhor exemplo em nosso continente sejam os da costa chilena, próxima ao oceano Pacífico, de regiões como os vales de Leyda, Limarí e Elqui, onde ganha frescor, leveza, e aromas de eucalipto.

Continua após a publicidade

Outras regiões e países importantes para a syrah são: Languedoc-Roussillon e Provence (França), Argentina e EUA. Com menor presença, mas com bons exemplares, podemos citar: Espanha, México, África do Sul, Nova Zelândia, Itália e Portugal. No Brasil, além dos vinhos de inverno, há bons exemplos no Rio Grande do Sul e no Vale do São Francisco.

Curiosidade: alguns syrah chegam ao nível de obras de arte e podem ser vendidos em leilões por somas exorbitantes, como o Penfolds Grange (Austrália) e os Côte-Rôtie chamados de “La La La”, La Mouline, La Turque e La Landonne, do produtor francês Guigal, do Rhône.

Villa Riviera Splendid 2020 Da Côtes de Provence, elaborado com castas como syrah e cinsault, com predomínio de grenache. Com a típica cor dos rosados provençais, muito clara. Aroma delicado, floral e de morango e pêssego. Paladar leve, fresco e muito elegante e equilibrado. R$ 199,90, na Evino.

Peninsula Single Vineyard Syrah 2021 Da chilena viña ventisquero, elaborado com 85% syrah, 10% merlot, 2% tintorera e 3% carménère, com quinze meses em barricas de carvalho 80% francês e 20% americano. Rubi escuro violáceo. Aroma intenso de geleia, couro, cacau, tostados e carvalho. Paladar de bom corpo, taninos doces, acidez equilibrada. R$ 94,00, na Wine.

Domaine De Lastours Corbières 2019 Um vinho do sul de Corbières, no Languedoc, sul da França, feito com um típico corte mediterrâneo, neste caso syrah (50%), grenache (40%) e carignan (10%), sem passagem por madeira. De cor rubi escura, com aroma frutado, notas de frutas vermelhas, ervas e especiarias. Paladar de leve a médio corpo, com taninos prontos, acidez moderada. R$ 94,00, na Wine.

Continua após a publicidade

Guaspari Vale Da Pedra Syrah 2021 Elaborado com 100% syrah, de vinhedos com 1170 metros de altitude em Espírito Santo do Pinhal (SP), com quatro meses de amadurecimento em barricas francesas. Cor rubi muito escura. Aroma intenso e com boa concentração de fruta, com notas de ameixa madura, amora, vegetal de bosque úmido, pimenta, chocolate. Paladar de médio-bom corpo, com bom volume de meio de boca, taninos doces, boa acidez, 14% de álcool. R$ 179,29, na Amazon.

Publicado em VEJA São Paulo de 24 de maio de 2024, edição nº 2894

BAIXE O APP COMER & BEBER E ESCOLHA UM ESTABELECIMENTO:

IOS: https://abr.ai/comerebeber-ios

ANDROID: https://abr.ai/comerebeber-android

Continua após a publicidade

Compartilhe essa matéria via:

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de 49,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.