Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Vida Boa Por Bárbara Öberg A repórter Bárbara Öberg fala sobre bem estar, exercícios, saúde e novidades para melhorar a rotina.

Morte após dieta radical demonstra a importância de emagrecer com saúde

Eu ainda estava de férias, cometendo algumas indulgências gastronômicas, sem culpa alguma (não sou noiada), quando li na internet: “Mulher morre depois de se submeter à dieta radical e perder 45 quilos em menos de seis meses”. #ôDó. Logo agora que ela deveria estar feliz da vida? #NãoVale. + Como evitar cabelos secos e emaranhados […]

Por Fábio Lemos Lopes Atualizado em 26 fev 2017, 15h16 - Publicado em 30 jul 2015, 20h29
Dieta com acompanhamento médico, exercício e boas horas de sono são fundamentais (Divulgação)

Dieta com acompanhamento médico, exercício e boas horas de sono são fundamentais (Divulgação)

Eu ainda estava de férias, cometendo algumas indulgências gastronômicas, sem culpa alguma (não sou noiada), quando li na internet: “Mulher morre depois de se submeter à dieta radical e perder 45 quilos em menos de seis meses”. #ôDó. Logo agora que ela deveria estar feliz da vida? #NãoVale.

+ Como evitar cabelos secos e emaranhados depois da corrida

Como assim? Em um vídeo que circulou aos quatro ventos, com alguma pitada de humor (e gravado por ela), Cíntia Cunha diz que a culpa de estar internada é sua, por ter feito uma dieta radical, e perdido muito peso em pouco tempo. Estava com anemia profunda e saúde debilitada… E que emagreceu sem saúde e por isso vivia internada. O vídeo é de abril, quando ela havia acabado de sair da UTI para o quarto do hospital. Ela morreu em julho.

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=aYZhkxDcUMk?feature=oembed&w=500&h=375%5D

Fiquei triste, porque sei a dureza de brigar contra os ponteiros da balança e meu processo de emagrecimento (menos 18 quilos levou um tempão, coisa de dois anos, embora os primeiros doze tenham sido em um ano).

+ Depois de ser chamada de gorda, empresária emagrece 50 quilos

Assim como a Cíntia e outro bocado de mulheres, passei uma vida querendo milagres pra emagrecer. Bem… Pra não dar pitaco na vida alheia (gente, é claro que a moça não fez isso pra se matar, mas errou a mão), entrevistei a nutróloga Liliane Oppermann, especializada em emagrecimento e gata.

Continua após a publicidade

Pois é, usando um linguajar bem coloquial, a moça morreu porque se desnutriu. Uma dieta com 400 calorias diárias, como a que adotou, prejudicou o seu sistema imunológico. Na prática, quando o corpo fica assim debilitado, uma simples gripe vira uma pneumonia. Algo simples se transforma em infecção e o quadro fica tão agudo que o corpo não responde mais aos medicamentos, nem mesmo aos antibióticos. Uma dieta radical, portanto, pode sim levar à morte. Ou acarretar outros problemas como me contou a médica: uma pessoa debilitada pode desenvolver herpes, candidíase (infecção por meio de fungo) e amigdalite, dentre outras.

O que fazer? Não, não dá pra ter pressa. Tem que ter saúde. A recomendação é da própria Cíntia, em seu vídeo, e da médica que entrevistei. Liliane, com pós-graduação em gastronomia funcional, diz que muitas pacientes chegam à sua clínica querendo “comprar um pacote de emagrecimento”. Gente, não existe milagre. Mas, evidentemente, formas de incentivar o começo da dieta pra motivar a pessoa.

Em uma conta simples que fizemos, a médica me disse que uma pessoa que quer emagrecer 20 quilos consegue eliminar cinco deles em um mês, se fizer uma dieta balanceada com a ingestão de 1 200 calorias diárias e caminhadas, também diárias, de uma hora. Ela não bota fé em dietas que restrinjam drasticamente algum grupo alimentar, como cortar carboidrato e focar na proteína. Porque dependendo da pessoa (cada caso é um caso), pode-se desenvolver uma compulsão. O paciente fica um período “x” sem a ingestão de carboidratos e depois come uma panelada de macarrão. E não para mais. Ou seja, o conhecido efeito sanfona. Não resolve, sabemos.

E o que resolve? A velha e boa fórmula, pra quem quer um resultado longevo e pra vida toda: equilíbrio. Dieta com acompanhamento médico, exercício e boas horas de sono. Uma pessoa que não dorme bem, não emagrece. E têm diversos estudos que comprovam isso. Então minha gente, que o fim trágico dessa moça tão jovem (37 anos) sirva de exemplo pra quem busca um emagrecimento saudável. E isso aqui não é lição de moral. Este blog é pra incentivar as pessoas a sair do sedentarismo, fazer as pazes com a balança, mas com saúde. Ninguém aqui quer ser musa fitness. Aqui, brinda-se com vinho: tim tim!

Em tempo 1: Se você quiser seguir Liliane Oppermann, o Instragram dela é @doutoraliliane e o site: www.doutoraliliane.com.br

Em tempo 2: O meu Instagram é @canseidesergorda_

E temos também uma página no Facebook Cansei de Ser Gorda.

Se você quer me contar sua história, escreve pra mim chrismartinez@butiquedeletras.com.br (eu repondo todos os emails, mas, calma, é no tempo que dá).

Um beijo, até mais.

Continua após a publicidade

Publicidade