Continua após publicidade

São Paulo tem projeto habitacional para população em situação de rua

Imóveis deverão beneficiar cerca de 500 pessoas, diz prefeitura

Por Agência Brasil
Atualizado em 27 Maio 2024, 21h56 - Publicado em 2 jun 2022, 09h38

A prefeitura de São Paulo colocou em consulta pública, pela segunda vez, o projeto de Parceria Público-Privada (PPP) para construção de infraestrutura destinada à moradia e acolhimento para população em situação de rua. O projeto prevê a implantação de 416 unidades de moradia, de 12 a 18 metros quadrados (m²), distribuídas em três empreendimentos, localizados nos distritos da Sé, República e Santa Cecília, no centro da capital paulista.

Os imóveis deverão beneficiar cerca de 500 pessoas em situação de extrema de vulnerabilidade socioeconômica. O valor total estimado do contrato é de R$ 122,9 milhões.

+ Prefeito diz que dependentes migraram da Cracolândia para o interior

Haverá uma audiência pública virtual, às 10h do próximo dia 14, para apresentação do projeto. Os interessados deverão se inscrever pela internet. A minuta dos documentos e os detalhes da parceria, que ficarão disponível até 4 de julho, podem ser obtidos para consulta aqui.

Continua após a publicidade

O contrato da PPP terá duração de 25 anos, período em que o parceiro privado será responsável pela implantação das unidades e pela gestão predial, englobando os serviços de administração, limpeza, segurança, monitoramento, portaria e zeladoria dos conjuntos habitacionais. A prestação dos serviços socioassistenciais e habitacionais ficará a cargo das secretarias municipais.

Segundo a prefeitura, os empreendimentos contarão com espaços no térreo destinados à convivência e atividades de trabalho social, lavanderias coletivas, estacionamentos para carrinhos e carroças de catadores de material reciclável, e canis individualizados para animais.

+ Quem são os que ajudam pessoas em situação de rua em noites geladas

As licitações ocorrerão por meio de concorrência internacional, na qual o critério de julgamento será o menor valor da prestação a ser paga mensalmente pela prefeitura, com limite máximo de R$ 407 mil por mês.

Esta é a segunda audiência pública do projeto. A primeira foi realizada em 26 de janeiro. Contribuições recebidas em janeiro foram incorporadas ao projeto e fazem parte dos documentos submetidos à nova consulta.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.