Clique e assine por apenas 5,90/mês

São Paulo avança para fase verde e cinemas, teatros e museus podem reabrir

Vejinha antecipou informação na quinta (8); nova fase prevê a reabertura parcial de quase todas as atividades

Por Redação VEJA São Paulo - Atualizado em 9 out 2020, 13h18 - Publicado em 9 out 2020, 12h52

Conforme a Vejinha antecipou com exclusividade na quinta-feira (8), o governador João Doria anunciou que a capital e mais cinco regiões do estado de São Paulo avançaram para a fase verde do Plano São Paulo de Flexibilização Econômica. A informação foi proferida em coletiva de imprensa nesta sexta (9). São elas as regiões das cidades de São Paulo, Piracicaba, Campinas, Baixada Santista, Taubaté e Sorocaba.

A nova fase prevê a reabertura parcial de quase todas as atividades, inclusive cinemas, teatros, museus e eventos. Estabelecimentos comerciais, como shoppings e galerias de lojas, podem funcionar com 60% da capacidade. Este é o penúltimo estágio da quarentena imposta pela pandemia do novo coronavírus.

A capital paulista estava na fase amarela do Plano São Paulo desde 29 de junho. Em 3 de julho, o governo do estado recomendou a reabertura das instituições culturais caso a cidade se mantivesse nesse estágio por 28 dias consecutivos, ou seja, no dia 27 de julho. A prefeitura, que é quem bate o martelo no que abre ou não, não acatou a sugestão do governo.

Reprodução Governo de São Paulo/Veja SP

Em setembro, protocolos foram estabelecidos para que quando a cidade avançasse, as áreas já estivessem preparadas. Podem ocorrer eventos para até 600 pessoas como convenções, seminários, workshops, palestras e feiras. Para público maior do que esse será necessário uma autorização da prefeitura, que avaliará propostas de eventos para no máximo 2 000 pessoas. Atividades que gerem aglomeração, tais como festas, baladas, torcidas em estádio e grandes shows com público em pé, não estão autorizadas.

Saiba o que muda na fase verde:

  • Shoppings e comércio de rua podem abrir por 12 horas e com aumento da capacidade para 60%;
  • Após 28 dias de estabilidade, eventos convenções e atividades culturais podem ser realizados com público em pé, mas com obrigação de controle e hora marcada.
  • Bares e restaurantes também podem abrir por 12 horas, desde que depois das 6h e antes das 22h;
  • Salões de beleza e barbearia podem abrir por 12 horas e com aumento da capacidade para 60%;
  • Academias de esporte de todas as modalidades e centros de ginástica podem abrir por 12 horas e com 60% de capacidade.
Continua após a publicidade
Publicidade