Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

A história da Vila Holandesa, em Santana

O conjunto de sobrados traz fachadas de tijolo aparente e janelas verdes

Por Alice Padilha Atualizado em 6 jan 2020, 11h52 - Publicado em 3 jan 2020, 06h00

Instalado na Rua Marechal Hermes da Fonseca, em Santana, o conjunto de vinte sobrados conhecido como Vila Holandesa chama a atenção de quem passa por suas janelas verdes e fachadas de tijolo aparente.

Carolina Mossin/Veja SP

Trata-se do Jardim Dona Rosa, construído entre 1952 e 1954 pelo casal de imigrantes holandeses Dirk e Selma Berkhout. Dirk atuava como cônsul-geral da Holanda em São Paulo e, junto com a mulher, pretendia lucrar com os aluguéis dos imóveis.

Carolina Mossin/Veja SP

A dupla possuía outras edificações na cidade com o mesmo propósito, em bairros como Higienópolis e Vila Mariana. Hoje, os lotes abrigam, além de residências, um escritório de advocacia, um espaço gastronômico, uma padaria e uma loja de roupas. Todos foram tombados pelo Patrimônio Histórico em 2018.

Com reportagem de Alice Padilha e Rafaela Bonilla.

Publicado em VEJA SÃO PAULO de 8 de janeiro de 2020, edição nº 2668.

Continua após a publicidade
Publicidade